Empresário ganha dinheiro vendendo “ar enlatado” para turista. Como Assim?!

Quando li o título da matéria que transcrevo abaixo, logo pensei que se tratava de alguma “picaretagem”. Qual não foi a minha surpresa ao ler a matéria na integra e constatar que era verdade. E que o empresário ainda está obtendo um lucro considerável!

É sabido que, hoje em dia, as agências de turismo enfrentam muitas dificuldades, em virtude da perda da comissão por parte das companhias aéreas e outros entraves que vêm surgindo ao longo dos tempos.  Isso, certamente, contribuiu para que esse empresário paranaense estivesse atento. E olha que a grande sacada de copiar e aperfeiçoar a lata que ele havia visto em Paris só saiu do papel após 20 anos.

Muitas vezes, o primeiro estalo para uma inovação pode surgir em uma viagem, pois viajar amplia os nossos horizontes. Durante as viagens, as pessoas geralmente ficam com a mente descansada, sem o stress do dia a dia, o que favorece o espírito de observação.

Então, pessoal, agora em suas próximas viagens já sabem. Fiquem atentos: lápis e papel na mão para anotar aquela “pequena” ideia que você teve durante uma viagem. Depois, é só investir em algumas horas de dedicação e trabalho.  Afinal de contas, nem as mentes mais brilhantes dispensam a transpiração na hora de transformar criatividade em negócios bem sucedidos.

Bora Ali ver a matéria na integra!?

O ar é sempre de Curitiba, mas os produtos transportam a atmosfera de vários pontos do Brasil.

Chegar em casa após uma viagem tem seu lado bom. Depois de dias longe, dormir na própria cama e não se preocupar em carregar bagagens é ótimo. Mas é claro que fica uma “depressão pós-viagem” daquelas, já que o clima gostoso de quem está conhecendo lugares novos se foi. Pensando em trazer um pouco da “atmosfera” do Brasil para a vida dos turistas, um empreendedor teve uma ideia inusitada, mas que está dando certo: desde outubro do ano passado, o paranaense Alessandro Catenaci, 37 anos, está vendendo o “ar enlatado” de várias cidades brasileiras.

Quer dizer, não é bem assim. O ar contido nas latas temáticas de Curitiba, Foz do Iguaçu (PR), Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro vem da capital paranaense mesmo. “Brincadeiras à parte, criamos um produto que realmente traz a atmosfera dessas cidades brasileiras”, diz Catenaci.
ar
Ideia surgiu há 20 anos, mas só saiu do papel em 2013

O empreendedor, que também comanda uma agência de turismo, teve a ideia de “vender ar” há mais ou menos 20 anos. Em uma viagem à França, ele encontrou uma lata com “ar de Paris”. Em 2013, animado com a iminência da Copa do Mundo, Catenaci decidiu tirar a ideia do papel e abriu a Lata de Ar, a empresa que produz os suvenires. Para produzir o primeiro lote de latinhas, com cerca de 3 mil unidades, ele gastou R$ 15 mil.

Antes de lançar os produtos, Catenaci começou uma busca pelo recipiente ideal para o “ar enlatado”. “Percebi que não devia usar a mesma lata de Paris, que era de achocolatado. O rótulo, de papel, não era muito resistente.” Posteriormente, o paranaense elegeu a escolhida: a lata de sardinha, que tem um tamanho adequado para um suvenir. “Ainda é possível fazer uma impressão de qualidade no recipiente, o que dificulta o desgaste do produto”, afirma o empreendedor.

foto_cido_marques
Alessandro Catenaci, da Lata de Ar

 

Os produtos da Lata de Ar estão à venda no site da empresa. A maior parte dos 50 pontos de venda físicos dos suvenires está em Curitiba, mas é possível encontrar as latas nos aeroportos de Guarulhos e do Galeão. Cada latinha custa R$ 10. A Lata de Ar vende cerca de 10 mil artigos por mês. Ou seja, Catenaci tem um faturamento bruto mensal de mais ou menos R$ 100 mil – oito vezes mais que o investimento inicial na empresa.

Segundo o “vendedor de ar”, a empresa espera colocar seus produtos em mais pontos de venda. Nos próximos meses, serão lançadas latas temáticas de Balneário Camboriú (SC), Belo Horizonte, Brasília, Florianópolis, Fortaleza e Natal. “Também desejamos internacionalizar nossa vendas e vender o ar brasileiro em outros países”, diz Catenaci.

Em outubro do ano passado, a Lata de Ar colocou no mercado o “Ar de Curitiba”. Nos meses seguintes, Catenaci foi lançando as latas das outras cidades. A empresa produz ainda um suvenir genérico, o “Ar do Brasil”, ideal para turistas estrangeiros.


Alessandra LontraMercado & Eventos
Fotos: Reprodução / Cido Marques

 

Artigo anteriorLulu Santos lança ‘Luiz Maurício’, seu primeiro disco de inéditas em cinco anos
Próximo artigoCosta Pacifica antecipa retorno à Europa
Alessandra Lontra
É formada em Marketing Estratégico, em Produção de eventos pela COMUNIK DO BRASIL, em Educação Fiscal pela Escola de Administração Fazendária e em Gestão Cultural para os Pontos de Cultura pela COMUNA S/A e MinC. Atua na área do Turismo há mais de 35 anos, tendo iniciado sua carreira na hotelaria. Trabalhou em agências e Operadoras de Turismo como Gerente Comercial, tendo desenvolvido diversos produtos. Atuou como interlocutora/coordenadora/ representante do Nordeste do Grupo Gestor de João Pessoa dos "65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional", projeto Federal do Ministério do Turismo com apoio do SEBRAE Nacional, Instituto Marca Brasil e Fundação Getúlio Vargas. Foi Diretora Cultural do Instituto Brasileiro de Formação Educacional e Cultural de Brasília, DF - IBRAFEC, foi diretora Comercial da Bora Ali Produções, Marketing, Consultoria & Eventos. Atualmente é diretora de Marketing do site e revista "O Concierge" e escreve neste Blog .