SOS Mata Atlântica lança vídeo sobre importância das UCs

0
Gestores das Unidades de Conservação que foram homenageados - Foto: ICMBio/Divulgação

Fundação realizou um evento para homenagear os gestores de 12 Unidades de Conservação apoiadas pela ONG em uma parceria com o ICMBio e lançou um filme sobre os parques e reservas beneficiados

Por Luiz Soares

A Fundação SOS Mata Atlântica realizou um evento para homenagear os gestores de 12 Unidades de Conservação apoiadas pela ONG em uma parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e lançou um filme sobre os parques e reservas beneficiados. O vídeo retrata as características de cada unidade, que são áreas protegidas da Mata Atlântica e marinhas, além de sua importância para o País, como a proteção de espécies e o oferecimento de serviços ambientais para a sociedade. O vídeo está disponível no canal da ONG no Youtube e na página do Facebook.

Vídeo “Os 3 Porquinhos e a Mata Atlântica”:

Em 10 anos de apoio a Unidades de Conservação, a SOS Mata Atlântica já captou mais de R$ 20 milhões em fundos para aplicação nos próximos anos. O diferencial do modelo de parceria da ONG é a possibilidade de apoiar a gestão das UCs sem transferência financeira aos órgãos públicos, garantindo desde a operação cotidiana e as emergências até projetos específicos. É um valor que beneficia a UC com equipamentos e serviços de forma fácil e ágil, porém com todos os requisitos de segurança jurídica e transparência entre os parceiros. Na prática, a ONG capta os recursos, investe, cria e gerencia fundos de perpetuidade ou de caixa para a execução de planos de trabalho em unidades específicas.

“Não havia momento melhor, se não o Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, para reunir esses profissionais para uma singela homenagem. A valorização de parques e reservas é uma das causas prioritárias para a conservação da Mata Atlântica“, afirmou Márcia Hirota, diretora-executiva da SOS Mata Atlântica.

Ao longo de sua história, a ONG já apoiou iniciativas em mais de 500 unidades de conservação, públicas e as privadas, como as Reservas Particulares do Patrimônio Natural, as RPPNs, em diversas categorias e esferas de gestão, fato relembrado por Ricardo Brochado Alves da Silva, da diretoria de criação e manejo de Unidades de Conservação do ICMBio.

“Estamos celebrando aqui estes projetos em andamento, mas sabemos que muitos outros já foram apoiados pela SOS Mata Atlântica. Nós deveríamos estar aqui para agradecer. Sabemos também da dificuldade que as ONGs passam para apoiar estas unidades e estamos juntos nessa“, destacou.

Durante o CBUC, a SOS Mata Atlântica também apresentou uma moção pela preservação do rito de criação de Unidades de Conservação no Brasil, algo que também faz parte da carta “Desenvolvimento para Sempre“, em que a ONG cobrará atenção dos candidatos nas eleições de 2018 para a agenda socioambiental. Aprovada no evento com mais de 60 votos a moção será encaminhada para órgãos do governo, incluindo a presidência da República.

“Sabemos do enorme desafio e luta de cada um destes gestores como verdadeiros guardiões dos nossos patrimônios naturais. Por isso, também exigimos atenção de nossas autoridades. Queremos que sejam vetadas integralmente qualquer proposta que pretenda bloquear a criação e a implantação de áreas protegidas em todo o Brasil“, afirma Erika Guimarães, gerente de Áreas Protegidas da SOS Mata Atlântica.

Os gestores homenageados são: Maurizélia Brito (Reserva Biológica Atol das Rocas); Klinton Senra e Maurício Muniz (Estação Ecológica da Guanabara e Área de Proteção Ambiental Guapi-Mirim; Lilian Hangae (Área de Proteção Ambiental de Cairuçu); Iran Normande e José Ulisses dos Santos (Área de Proteção Ambiental da Costa dos Corais); Ricardo Castelli (Reserva Biológica Marinho do Arvoredo); Kelen Leite (Núcleo de Gestão Integrada Alcatrazes); Ernesto Castro (Parque Nacional da Tijuca); Gustavo Tomzhinski (Parque Nacional de Itatiaia); Mario Douglas Fortini (Parque Nacional da Serra da Bocaina); Sandro Pereira (Parque Nacional da Serra da Bodoquena).

Durante o CBUC, também foi lançado o estudo “Quanto Vale o Verde“ (download AQUI), que apresenta a contribuição econômica das Unidades de Conservação brasileiras.

Ascom ICMBio