Cidades como Gramado (RS) e Bananeiras (PB) apostam em calendário de eventos para atrair visitantes e reforçar a economia local

Gustavo Henrique Braga

O turismo foi apontado como uma das atividades essenciais para impulsionar a economia municipal no seminário “Planejamento e governança para o desenvolvimento local”, que ocorreu durante o III Encontro de Municípios com Desenvolvimento Sustentável em Brasília. O evento contou com apresentações de prefeitos, ex-prefeitos e parlamentares que salientaram a necessidade de os municípios investirem na criação de um calendário de eventos turísticos, como estratégia para atrair recursos especialmente na baixa temporada.

Pedro Bertolucci, ex-prefeito de Gramado (RS), disse que os eventos turísticos beneficiam não só a cidade onde eles ocorrem mas também os municípios vizinhos. Exemplo disso é o Natal Luz e o Festival de Cinema da cidade, que também beneficia Canela, Bento Gonçalves e Nova Petrópolis.

O prefeito de Bananeiras (PB) – município nordestino de clima frio úmido devido à atitude de mais de 500m –, Douglas Lucena, disse que após a elaboração de um planejamento estratégico, a cidade identificou duas vocações econômicas: o turismo e a piscicultura. “Com este foco, investimos na qualificação profissional de 2,2 mil pessoas em apenas dois anos. Além disso, o município recebeu investimentos privados após a divulgação dos atrativos locais no exterior feita pela Embratur.”

O turismo também ajudou a mudar a economia de Cabaceiras (PB), conhecida como a “Roliúde Nordestina” devido ao fato de a cidade ter servido de cenário a diversas produções. Segundo o ex-prefeito da cidade Arnaldo Júnior Dôso, mesmo em uma realidade hostil como o semiárido sempre é possível valorizar a vocação local, que no caso de Cabaceiras envolve pequenos negócios e turismo.

Para Luciana Fernandes, diretora de marketing do Ministério do Turismo, a criação de calendários de eventos estimula a promoção dos destinos ao mesmo tempo e movimenta a atividade turística durante a baixa temporada e reforça o papel do setor na economia.

Em São Paulo – principal destino de negócios e eventos do país –, os 2.216 mil eventos ocorridos no ano passado atraíram cerca de 31 milhões de pessoas, entre moradores e visitantes, de acordo com dados do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB). “O calendário de eventos locais é uma ferramenta que auxilia a cadeia produtiva do turismo a se preparar para receber bem o visitante”, afirma Toni Sando, presidente do SPCVB.

Clique aqui para ouvir comentário da diretora Luciana Fernandes sobre a importância da divulgação de atrativos e eventos nacionais a viajantes.

Ascom MTur
Imagem: Divulgação