Fortalecimento da economia do turismo nos municípios é tema de congresso em MG

0
Marcelo Moreira durante sua apresentação no Mineirão. Crédito: Roberto Castro/MTur/Divulgação

36ª edição do Congresso Mineiro de Municípios contou com a presença do MTur

Por Vanessa Sampaio

Com cerca de 300 prefeitos e gestores públicos reunidos para um painel sobre turismo, começou na manhã desta terça-feira (14), em Belo Horizonte (MG), o 36° Congresso Mineiro de Municípios. Sob o tema “Novos governos – Perspectivas, Desafios e Compromissos”, o evento deve receber cerca de 10 mil pessoas durante a programação, que se estende até quarta-feira (15) no Estádio Mineirão.

A mesa de debates contou com a presença do diretor do Departamento de Infraestrutura Turística do Ministério do Turismo, Marcelo Moreira, e do coordenador-geral de Planejamento Territorial da Pasta, Eduardo Madeira. Eles apresentaram um panorama sobre ferramentas de acesso ao crédito, estratégias de atração de investimentos e políticas públicas de fomento ao mercado de viagens nos municípios.

Segundo Madeira, a atividade turística possui plena capacidade para geração de emprego e renda. “Para isso é preciso destravar investimentos e simplificar o acesso ao crédito. É o que fazem o Prodetur+Turismo e o Fungetur: dão viabilidade a projetos de estados, municípios e iniciativa privada”, destacou. Ele informou que o Fundo Geral de Turismo tem, hoje, recursos da ordem de R$ 380 milhões disponíveis para empresários de todo o Brasil, e que o Prodetur+Turismo já recebeu 172 propostas que totalizam R$ 5,7 bilhões em pleitos de financiamento para a estruturação do setor no país.

O diretor Marcelo Moreira afirmou que, além da disponibilização dos recursos, o Ministério do Turismo está atento à plena execução dos projetos custeados pela pasta. “Hoje o MTur tem 4,8 mil obras ativas. Estamos trabalhando com rigor técnico para identificar as causas de atraso de parte desses projetos, e, somente em 2019, já conseguimos sanar pendências em parceria com estados e municípios e concluir 175 obras de 23 estados brasileiros”, exaltou. Ele garantiu que até o fim do ano mais 900 obras serão entregues à população graças a essa força-tarefa de gestão e gerenciamento do recurso já investido pelo ministério.

O PODER DO TURISMO – Consultor de Turismo da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Mário Nascimento também participou do painel. Ele apresentou cases de sucesso de municípios que reconheceram o poder do Turismo como atividade econômica e estão escrevendo uma nova história de desenvolvimento regional a partir do fortalecimento do setor. “Em 30 anos, Gramado se estruturou como destino de inverno referência no Brasil e na América do Sul. Uma pequena cidade de 40 mil habitantes que se uniu em torno disso e hoje tem emprego, investimento e qualidade de vida para os moradores, com uma economia e um calendário de eventos baseados na atividade turística”, exemplificou.

Ele também citou o caso de São Miguel das Missões (RS), cidade do Noroeste gaúcho, que a partir da realização de um concerto musical no Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, tombado patrimônio cultural da Humanidade pela Unesco, despertou para a importância do turismo como vetor econômico e desencadeou um amplo processo de investimentos e estruturação da atividade na região. “Eu sempre digo que o problema não é falta de recursos, e sim falta de priorização na agenda dos governos. O presidente Bolsonaro e o ministro Marcelo Álvaro Antônio estão fazendo isso de forma brilhante, então os municípios também podem e devem trilhar esse caminho”, recomendou, lançando a provocação para o público.

“Os governantes não podem ficar intimidados: têm que defender e mobilizar. Temos que criar essas oportunidades de desenvolvimento e mostrar que elas podem renovar o Brasil”, concluiu.

Ascom MTur