Especialista afirma que Instagram é perfeito para vender viagens

0
Imagem: Divulgação

O Instagram é a melhor rede social para empresas que vendem viagens. A constatação é da consultora e especialista em marketing digital de Turismo, Marta Poggi, que palestrou durante o Turismo Summit 2018, nesta terça-feira (4), em Brasília. O evento é promovido pelo Ministério do Turismo, Sebrae e Embratur.

Para Marta, o Instagram tem dado bons resultados para marcas de Turismo, pois seus produtos (destinos, hotéis, navios, parques etc) são “perfeitos” para esse tipo de plataforma: visuais, seja em fotos ou vídeos, dando a oportunidade de mostrar imagens impressionantes dos destinos com que trabalham para chamar a atenção do viajante – e criar o desejo de conhecê-los.

Acrescenta-se a isso o fato de que o Brasil é o segundo colocado no ranking global de usuários do Instagram (50 milhões de pessoas) e, principalmente, que 40% dos millennials escolhem destinos e produtos por serem “instagramáveis” – ou seja, onde possam fazer fotos incríveis e que façam sua rede social bombar – e pronto: têm-se a melhor rede para atrair viajantes ao seu destino ou produtos.

“Isso sem contar o fato de que o poder aquisitivo dos usuários do Instagram costuma ser maior do que dos usuários do Facebook, por exemplo”, acrescenta Marta Poggi, que é também fundadora do blog Agente no Turismo.

DICAS PARA VIAJANTES
Um dos pontos fortes da rede é sua facilidade de propagação de experiências. Usar os próprios viajantes para divulgá-los com posts no Instagram é a dica de Marta: as empresas turísticas devem se aproveitar dessa nova geração de consumidores, que precisam mostrar locais incríveis no seu mundo digital.

Incentivá-los a aproveitar as experiências oferecidas por elas, dar dicas de locais bons para selfies, ou até apontar locais com wi-fi livre são caminhos de ajudá-lo a compartilhar experiências do seu destino e produto.

Usuários que compartilham fotos do destino fazem, indiretamente, propaganda deles para seus seguidores – Foto: Divulgação

Funciona como um efeito dominó: outros usuários, que seguem o viajante, podem se sentir tentados a também viajar com alguma empresa ou para algum local ao ver os posts. “Se meu amigo está em um destino que eu acho incrível por fotos e vídeos, é o caminho natural nascer esse destino em mim, eu perguntar para ele como ele foi e, enfim, viajar para o mesmo lugar, possivelmente através da mesma empresa”, resume a especialista.

INFLUENCIADORES: VALEM A PENA?
Sim, desde que seguidas algumas orientações, de acordo com Marta Poggi. Vários têm trazido excelentes resultados, mas desde que tenham a ver com sua empresa ou destino.

De acordo com a especialista, a primeira coisa que um influencer tem que ter é afinidade com sua marca: trate do mesmo assunto, tenha uma linguagem parecida com a que você utiliza… “Mas, principalmente, que tenha entre seus seguidores o mesmo público-alvo. Não adianta eu utilizar um influenciador que seja especializado em viagens de aventura, por exemplo, se minha empresa é um resort voltado para famílias ou público corporativo”, exemplifica Marta Poggi.

Panrotas