Bob Santos está cotado para secretaria de Qualificação e Promoção do MTur no governo Bolsonaro

0
Secretário Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Bob Santos - Foto: Divulgação

O presidente eleito Jair Bolsonaro já começou a montar a equipe que comandará a promoção turística do Brasil a partir de 2019. Além de manter o Ministério do Turismo de forma independente e nomear Marcelo Álvaro para assumir a pasta, Bolsonaro está prestes a manter Bob Santos como secretário nacional de Qualificação e Promoção do Ministério do Turismo, cargo em que ocupa atualmente

Fontes ligadas ao M&E revelaram que a nomeação de Bob Santos está 99% confirmada. O próprio ministro Marcelo Álvaro também tinha confirmado a permanência de Bob Santos no MTur, restando apenas a publicação no Diário Oficial da União (DOU). E a ideia do novo governo é acoplar o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) ao Ministério do Turismo, o que traria uma “maior musculatura” aos processos de divulgação do Brasil no exterior. Há uma grande possibilidade, portanto, da secretaria ser turbinada justamente por este aporte da Embratur.

Sendo assim, Bob Santos assumiria um cargo que passaria a ter uma maior responsabilidade no governo de Jair Bolsonaro, visto que a Embratur tem grandes chances de impulsionar ainda mais as ações do Ministério do Turismo a partir de 2019. Formado em direito público, Bob Santos não é afiliado a nenhum partido político, além de se enquadrar na Lei da Ficha Limpa. Fontes ligadas ao governo federal confirmam ainda que Bob Santos é um nome dado como certo por ter todo o know-how para assumir um cargo que teria um peso muito maior em 2019.

Uma vez confirmada a nomeação, o presidente eleito Jair Bolsonaro manteria sua promessa de eleger nomes técnicos para administrar as diversas pastas de seu governo. Isto porque Bob Santos tem mais de 28 anos de congresso nacional, é atual secretário de Qualificação e Promoção do MTur, já foi chefe de gabinete da Comissão de Turismo da Câmara, já foi secretário executivo da Frente Parlamentar de Turismo da Câmara, que indicou o novo ministro,e já foi chefe de gabinete da Comissão do Marco Regulatório da Economia Colaborativa.

M&E