Amantes da fotografia de aeronaves têm encontro em Salvador

0
Um grupo de 35 pessoas se reuniu no Aeroporto Internacional de Salvador para expressar essa paixão por aeronaves e fotografias - Foto: Divulgação

O 1º Spotters Day Global aconteceu em Salvador e simultaneamente em cidades de outros sete países

A humanidade sempre foi apaixonada pelo voo. Na manhã desse sábado (17), um grupo de 35 pessoas se reuniu no Aeroporto Internacional de Salvador Luís Eduardo Magalhães para expressar essa paixão por meio da fotografia. Eles fizeram parte do 1º Spotters Day global da VINCI Airports.

A ação inédita foi realizada paralelamente em aeroportos do Japão, Camboja, França, Chile, Portugal, Reino Unido e República Dominicana – todos eles fazem parte da rede VINCI Airports . Ao todo foram convidados mais de 200 spotters, que é como são conhecidos os entusiastas da aviação que vivem em busca de novos ângulos para registros fotográficos de aeronaves e compartilham ativamente sua paixão nas redes sociais.

A iniciativa buscou  proporcionar aos spotters acesso exclusivo aos bastidores do aeroporto, especialmente a áreas de pouso e decolagem, para que eles pudessem conferir de perto diferentes tipos de aeronaves e o know-how técnico aplicado nas operações aeroportuárias. Uma experiência única e emocionante para esses amantes da aviação.

O grupo participou de atividades especiais como a simulação de um acidente no Aeroporto de Salvador – Foto: Divulgação

Presente numa ação de spotters pela primeira vez, o estudante Marcos Marcel, 16, classificou como uma experiência muito boa. Especialmente para ele que pretende seguir a carreira de piloto no futuro. “Comecei a fotografar em fevereiro do ano passado porque sou apaixonado pela aviação, mesmo sem ter tido ninguém na família para herdar essa paixão”, conta.

Em março desse ano, Raiane Moitinho, 29, participou de uma atividade e adorou, mas classificou essa experiência como fantástica. “Dessa vez fomos a áreas diferentes como o QG do Corpo de Bombeiros e participamos de uma simulação de acidentes”, conta. A spotter começou a fotografar por acaso e descobriu uma paixão. “Trabalho numa empresa de Recursos Humanos e precisava viajar muito para fazer recrutamento. Terminava passando muito tempo nos aeroportos e desejava encontrar um passatempo prazeroso, assim nasceu esse amor”, completa.

Correio