Totonho lança álbum Samba Luzia Gorda

0
Rafael Passos

Fãs tem até o dia (4) de outubro para apoiar o projeto em troca de recompensas exclusivas

Carlos Antonio Bezerra da Silva, depois de 12 anos do disco Sabotador de Satélite (2015) e 2 anos do último trabalho, o EP Côco Ostentação, se prepara agora para lançar o novo álbum Samba Luzia Gorda através de campanha de financiamento coletivo no Catarse, que se encerra dia 4 de outubro. O disco conta com produção musical de Mauricio Tagliari e coprodução da YB Music, sem falar nas participações especiais de Otto, Moreno Veloso, Quinteto da Paraíba, André Abujamra, Manoel e Felipe Cordeiro, Cassiano Ziryab Cassiano De Sa, Mbeji/Baile das Pombagira e o Maestro Jorge Ceruto. As artes de capa e encarte são de Shiko.

Navegando por elementos distintos da música, que vão do tradicional ao contemporâneo, Totonho e Os Cabra carrega em sua sonoridade um misto de ritmos nordestinos, urbanos e batidas eletrônicas, complementada com letras de conteúdo social.

Divulgacao

Totonho é natural de Monteiro e funda seu arquétipo de composições a partir da rica cena de repentistas locais e ícones da poesia nordestina. Lá foi vendedor de buchada de bode e assistiu à muitas cantorias de repentistas da região. Foi quando teve seu primeiro contato com a música. “Minha casa vivia cheia de gente, então me acostumei a vê-los pela casa. Você sabia que Monteiro foi durante muito tempo considerada a Meca dos repentistas nordestinos?” declara Totonho.

Em 82 resolveu que queria mesmo seguir a carreira de músico e foi para João Pessoa, onde fundou o Musiclube da Paraíba, uma cooperativa de compositores por onde passaram nomes como Chico César, Jarbas Mariz e os irmãos Pedro Osmar e Paulo Ró, entre outros. Já premiado e conhecido como um dos melhores compositores da região, em 1988 se muda para o Rio de Janeiro para iniciar formação em arte educação e lá coordenou e fundou diversas ONGs, entre elas, a EX-COLA e o Grupo Cultural Afro Reggae, entre outras.

Seu primeiro registro fonográfico só saiu em 2001 pela gravadora Trama com produção de Carlos Eduardo Miranda e em 2005 lançou o segundo álbum “Sabotador de Satélites” com a mesma gravadora e produtor. Ainda possui em sua carreira duas Coletâneas internacionais da Nova Música Brasileira, selo Toten França, e o Coletivo Hip Hop do Mundo, Selo África Mundi/U.S., produzida pelo americano Malvin Gibson.

Em 2015, a partir de uma ação ativista de levar música para espaços públicos da grande João Pessoa de forma independente em parceria com o compositor Seu Pereira, lança um trabalho de “Funks Rurais” inspirado pela força da poesia regional, o EP “Coco Ostentação”.

Na sua jornada pelo mundo musical, Totonho coleciona concertos internacionais na Ucrânia, Londres, Bélgica, França, Guatemala, Portugal e Rússia. No Brasil já tocou em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Crato, Fortaleza, Salvador, Curitiba, Manaus, Belém, Boa Vista, Macapá, São Luís, Teresina, Natal, Brasília, João Pessoa, entre outras.

Assessoria

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here