Na foto: Vista de cima do castelo que abriga as plantas arquitetônicas e os protótipos de Leonardo.

Por Rose Lucena 

Nós passaríamos páginas e mais páginas falando acerca daquele que foi e continua sendo, um dos maiores gênios que a humanidade já conheceu.  Artista plástico, Cientista e Arquiteto, essas seriam algumas de suas graduações nos dias atuais mas, com certeza, iria muito mais além do que pudéssemos imaginar. Se brincar, Leonardo, hoje, teria uma parede repleta de “Prêmio Nobel”  e a mais alta graduação acadêmica com honras, méritos próprios e salva de tiros. Era “grande” e, para nossa alegria, também italiano.

Foto da casa onde nasceu Leonardo da Vinci em Anchiano
Foto da casa onde nasceu Leonardo da Vinci em Anchiano

Para a Itália, não seria diferente, já que ela, por si só, é o berço de tantos gênios e traz o orgulho de  mostrar isso  a tantos outros povos.

O gênio renascentista nasceu em um dos períodos cool da história, em um lugarejo próximo à cidade de Vinci – cerca de 10min –  chamado Anchiano. Estive lá há alguns anos,um local minúsculo, e visitei a casa onde o gênio nasceu. Quanta honra!

Rose Lucena de frente a casa de Leonardo
Rose Lucena de frente a casa de Leonardo

Cercada por oliveiras, a casa de Leonardo é dos points mais visitados pelos turistas que vão à Toscana e que não perdem a oportunidade única em visitar a cidade de Vinci. Afinal, para chegar a Anchiano faz-se necessário atravessá-la e quem chega a Vinci, tem por obrigação ir direto ao Museu Leonardiano, onde o visitante tem acesso à compra dos tickets,  para visitar tanto o museu como a casa do artista.

O museu fica em um castelo que foi doado pela prefeitura de Vinci, em 1919, pela ocasião do IV Centenário de sua morte e  abriga protótipos idênticos aos idealizados por Leonardo.  Mas, foi só no ano de 1953, que o museu tomou vida com a doação feita pela International Business Machines Corporation (IBM)  que fez a doação dos protótipos perfeitos,  confeccionados com as plantas arquitetônicas do próprio Leonardo. Obviamente, em tamanhos menores.

Foto de um dos estudos de Leonardo da Vinci - Museu Leonardiano
Foto de um dos estudos de Leonardo da Vinci – Museu Leonardiano

Confesso a vocês que fiquei boquiaberta com tamanha perfeição. Para quem gosta de engenharia, mecânica e arquitetura não deve perder mesmo  uma visita ao local e ver de perto toda aquela perfeição. Leonardo, era o cara!

Após visitarmos o museu, partirmos, de carro, para uma visita à casa onde nasceu Leonardo. Sentimo-nos impactados, já que a casa é feita de pedras bem artesanais e em estilo toscano de séculos atrás. Mesmo  tendo sido restaurada, faz-nos retornar no tempo, em uma bela viagem.  É rústica e rodeada de pés de oliva, típicos da região. Na entrada, uma recepcionista encaminhou-nos a uma sala com um telão bem diferente, onde o visitante assiste, em língua estrangeira – inglês, alemão, italiano ou francês,  a um pouco da história de Leonardo da Vinci. Lembramos que, no interior do local, nada de fotos. O filme é todo em 3D e não há necessidade de óculos especiais para assistir  a ele e ter aquela impressão de que os atores estão ali,  interagindo com você. Tecnologia é tudo, não é gente?

Rose Lucena pronta para entrar no Museu Leonardiano
Rose Lucena pronta para entrar no Museu Leonardiano

Vinci é uma daquelas cidades charmosas da Toscana que  nos conquista não só pela sua paisagem típica da região, de tirar o fôlego, mas por ter como filho, um dos maiores gênios que a humanidade já conheceu. Fiquei imaginando, se o quadro da Monalisa estivesse nas paredes da casa onde nasceu Leonardo. Até cheguei a visualizá-lo, imponente, em uma de suas salas. Nossa!  A cidade de Vinci não  comportaria tantos turistas. A propósito, dito pelos próprios italianos, Paris só é Paris porque mais da metade de seus visitantes querem ver a Monalisa de perto, no Louvre; e isso é estatístico.

Eitha Itália para abrigar gênios! Sim, os italianos podem se orgulhar dos grandes homens que fizeram história e imortalizaram a arte, como Leonardo.

Entrada da cidade de Vinci. A cor em marrom indica que a cidade é turística
Entrada da cidade de Vinci. A cor em marrom indica que a cidade é turística
O orgulho da cidade sem dúvidas
O orgulho da cidade sem dúvidas
Rose Lucena no pátio externo do Museu Leonardiano
Rose Lucena no pátio externo do Museu Leonardiano

Alla prossima!

Link do Museu Leonardiano: http://www.museoleonardiano.it

Artigo anteriorTemporada 2016 no Valle Nevado
Próximo artigoSandra Belê, Ellen Oléria e Khrystal apresentam show “Elas e a Sanfona” em João Pessoa
Rose Lucena
Rose Lucena é paraibana, natural de João Pessoa, formada em Produção Publicitária pela Fatec-PB. É especialista em Marketing Empresarial, tendo sua carreira iniciada com a realização de um Projeto de Turismo Pedagógico Exploradores do Saber para uma das maiores empresas de receptivo no Brasil. O projeto, voltado exclusivamente para a rede educacional avaliado como uma das maiores iniciativas na área do turismo pedagógico. Técnica em Turismo e amante da História, Arte e Cultura, relatou uma de suas experiências para a revista Travel Ace Brasil, a convite do Diretor de Social Media Marketing da empresa no ano de 2010. Em 2012, mudou-se para Milão, Itália, onde iniciou a cursar Fashion Communication, que a possibilitou participar de eventos internacionais como o maior evento mundial de moda, o Milano Fashion Week. Curiosa por natureza, aventura-se em descobrir além do trivial e não dispensa uma boa viagem. Há anos atua no turismo como Blogger - desde sua formação como Técnica do Turismo -, onde conta suas experiências e coberturas de eventos aos seus leitores. Casada com o turismólogo Marco Lambertini, fluente em língua inglesa, italiana e alemã, convida todos a mergulharem em suas aventuras pelo continente europeu.