Feliz ano novo para todos!

Por Rose Lucena

Mais um ano finda e nada como imergirmos em uma cultura para vermos o quanto ela é diferente da nossa. Já faz um bom tempo que estou na Itália e o interessante é que final de ano, para o italiano – em sua grande maioria –  também é período de um bom descanso. Ou seja, férias invernais com, no mínimo, quatro dias ou uma semana.

O que, na verdade, muitos não esperavam foi a ausência da neve e das chuvas, já que o europeu é um grande apreciador dos esportes invernais e, acreditem, eu já estava pronta para fazer uma supermatéria acerca desses esportes nas montanhas, mas não deu; a neve, nas montanhas, está sendo mantida de forma artificial. Isso tudo tem um porém:   é que a pressão de área quente que vem da África mudou tudo por aqui, fazendo deste, um inverno insólito e sem neve, sem baixa de temperatura, como nos anos anteriores, com muita cerração, poluição produzida pelas fábricas e com carros ecologicamente nada corretos. O mundo mudou! E, pelo visto, para pior.

Mas, este final de ano não é todo decepcionante, já que o italiano continua viajando – mesmo com a crise econômica –  e, tradicionalmente, continua o mesmo. Os mais apaixonados escapam para as montanhas e, mesmo com a neve produzida artificialmente, continuam praticando esportes de inverno e aproveitando o máximo. Uma minoria prefere viajar para outros países, principalmente, para aqueles providos de neve e com estações invernais ativas. E tem quem prefira ficar e usufruir, em família, de uma mesa farta de comidas tradicionais, regadas a um bom espumante.

Lentilhas, uvas e romãs não podem faltar na mesa do italiano
Lentilhas, uvas e romãs não podem faltar na mesa do italiano

E, por falarmos em mesa italiana, o menu pode ser variado; mas, lentilhas, uvas e romãs não podem faltar na ceia da virada de ano, já que muitos acreditam que as lentilhas, uvas e romãs trazem sorte e dinheiro. Pelo visto, temos muito do comportamento deles, não é? Pois não nos falta superstição.

Os alimentos citados anteriormente, simbolizam o ouro; por esse motivo, trazem abundância para o ano que está chegando; isso, segundo a tradição deles. Como bebida, protagoniza, obviamente, o bom e velho espumante italiano que é divino. Pandoro e Panetone, reciclados do natal, também estão valendo como doce.

Rose Lucena na galeria Vittorio Emanuele.
Rose Lucena na galeria Vittorio Emanuele.

O resumo da ópera é que, cada cultura tem a sua forma única de celebrar o ano que está por vir, mas o mais importante é que ele venha cheio da graça de Deus, com muita saúde, paz, alegrias e prosperidade. Lembrando que, nada mudará no ano que nasce, se nós não mudarmos. Então, que seja um ano cheio de atitudes e de muitas vitórias, seja com lentilhas ou sem, mas que tenha, principalmente, a presença de Deus para quem Nele acredita.

Desejamos um ano cheio de alegrias e realizações para todos os nossos leitores. Que venha 2016!

Um forte abraço e alla prossima!

Nos vemos em 2016.

Equipe do Direto da Itália

Fotos: Rose Lucena e Marcos Lambertini

Artigo anteriorA beleza das praias de água doce pelo Brasil
Próximo artigoSalvador BA espera 100% de ocupação hoteleira no Réveillon
Rose Lucena
Rose Lucena é paraibana, natural de João Pessoa, formada em Produção Publicitária pela Fatec-PB. É especialista em Marketing Empresarial, tendo sua carreira iniciada com a realização de um Projeto de Turismo Pedagógico Exploradores do Saber para uma das maiores empresas de receptivo no Brasil. O projeto, voltado exclusivamente para a rede educacional avaliado como uma das maiores iniciativas na área do turismo pedagógico. Técnica em Turismo e amante da História, Arte e Cultura, relatou uma de suas experiências para a revista Travel Ace Brasil, a convite do Diretor de Social Media Marketing da empresa no ano de 2010. Em 2012, mudou-se para Milão, Itália, onde iniciou a cursar Fashion Communication, que a possibilitou participar de eventos internacionais como o maior evento mundial de moda, o Milano Fashion Week. Curiosa por natureza, aventura-se em descobrir além do trivial e não dispensa uma boa viagem. Há anos atua no turismo como Blogger - desde sua formação como Técnica do Turismo -, onde conta suas experiências e coberturas de eventos aos seus leitores. Casada com o turismólogo Marco Lambertini, fluente em língua inglesa, italiana e alemã, convida todos a mergulharem em suas aventuras pelo continente europeu.