Vendas na Vila do Artesão durante período junino 2017 superam ano passado

0
61
Vila do Artesão em Campina Grande (PB) - Imagem: Divulgação

As vendas na Vila do Artesão durante o período junino chegaram a uma média de R$ 500 mil, com produtos e comidas tipicas vendidas. O equipamento administrado pelo presidente da Agência Municipal de Desenvolvimento (AMDE), vereador Nelson Gomes recebeu inúmeras melhorias em sua estrutura física e organizacional para este mês de junho.

De acordo com Nelson Gomes, a reativação do Projeto “Forró na Vila”, a diversidade nas tipologias expostas nos 77 chalés dos mais de 200 artesãos, as várias apresentações danças culturais e quadrilhas de Campina Grande e de outras cidades diariamente atraiu um número maior de turistas e, por conseguinte, aqueceu as vendas no local.

As tipologias que obtiveram mais saídas foram as de habilidades manuais, fios e madeira. Outro destaque de vendas ficou por conta da gastronomia, que levou o melhor da culinária regional aos mais milhares de visitantes e turistas que passaram pela Vila do Artesão, durante o período junino.

O presidente da AMDE, Nelson Gomes disse que os números representam a importância do local para a Cidade, principalmente durante o período onde mais tem turistas em Campina Grande. “São números que expressam a importância do artesanato, como produto típico da nossa cultura e uma forma clara de contribuir para o aquecimento da economia local”, frisou.

Balanço – Com um público visitante de mais de xxxx mil pessoas durante os 30 dias de São João e mais de xxx produtos vendidos, o presidente da AMDE, vereador Nelson Gomes comemorou o resultado final, afirmou que as expectativas foram superadas e acrescentou que pretende manter, nos finais de semana, durante todo o ano, o autêntico forró pé-de-serra, na praça da alimentação da Vila do Artesão.

“O período junino é sem dúvidas o que mais favorece a economia de Campina Grande. No entanto, vale ressaltar que se não houver investimento como o que fizemos, reativando o forró da Vila, melhorando as condições estruturais do local, mantendo a limpeza e a higiene do ambiente e também atendendo melhor visitantes e turistas, nada disso seria possível. E já que houve um retorno positivo de tudo que fizemos, estamos estudando a viabilidade de manter o forró na vila durante todo o ano”, destacou Nelson Gomes.

Codecom CG