Em 2014, a Avianca registrou uma receita de US$ 4,7 bilhões

A United Continental Holdings Inc. e a Delta Air Lines Inc. parecem estar entre os investidores que consideram fazer uma proposta pela Avianca Holdings SA, de acordo com pessoas ligadas ao assunto. As informações são do jornal Washington Post, que ainda afirma que a Avianca procura investidores que possam injetar um mínimo de US$ 500 milhões nos cofres da companhia baseada na América Latina.

Este seria o primeiro e importante passo que poderia ajudar diretamente no desenvolvimento futuro de conversas para uma possível aquisição por completo ou por uma parte do grupo aéreo latino-americano. A investida de ambas as empresas norte-americanas pode ser um passo extremamente importante dentro de suas linhas de expansão internacional, além de ganharem um certo fôlego em meio a alta concorrência da atual indústria de aviação.

Enquanto está cada vez mais perto de realizar a junção com a Avianca Brasil, a Avianca Holdings SA, grupo baseado no Panamá, já possui companhias na Colômbia, Equador, El Salvador, Costa Rica, Peru, Nicarágua e Honduras, muito por conta, também, da fusão com o Grupo Taca, em 2010. Em 2014, a Avianca registrou uma receita de US$ 4,7 bilhões, enquanto o lucro líquido chegou a US$ 120 milhões. Até setembro de 2015, a aérea tinha uma dívida de US$ 3,3 bilhões, embora opere em mais de 100 destinos com uma frota de 176 aeronaves.

Esta nova onda de fusões, aquisições e parcerias está virando moda nas Américas. Nos Estados Unidos, por exemplo, desde 2008 oito companhias aéreas se fundiram. Atualmente, 80% da capacidade doméstica está nas mãos de quatro companhias. Muitas companhias norte-americanas também já estão participando do mercado Sulamericano, como é o caso da Delta que adquiriu uma participação da Gol no ano passado, por exemplo, enquanto Lan e Tam se fundiram para formar o maior grupo aéreo da América do Sul, finalizado agora em 2016.

M&E

Foto: Divulgação