Este é último fim de semana do espetáculo “As Mãos de Eurídice”, montagem encenada pelo grupo Muladhara de teatro e interpretação do ator Jucinaldo Pereira. As apresentações acontece nesta sexta e sábado na Usina Cultural Energisa, às 20:30h.

Escrito em 1949, as mãos de Eurídice foi a peça mais representada da dramaturgia brasileira. Este monólogo, escrito por Pedro Bloch, conta a história do escritor Gumercindo Tavares que abandonou sua mulher, Dulce, para fugir com Eurídice, que tinha belas mãos e por quem se apaixonou profundamente. Mas se arrepende e resolve voltar para a esposa.

10260037_657853674269197_753968373415118415_n

A montagem do grupo Muladhara de teatro, recebe uma roupagem intimista e interativa, como pede o texto, e irá mostrar o momento mais íntimo do ser humano entre a insanidade do homem e a realidade que vivencia, permitindo uma conversação com a platéia. Como disse Pedro Bloch: “é uma peça precursora da agressão ao público, da participação do público, do indivíduo colocando-se na platéia”.

1958262_695607887151941_8040395622271916010_n

O espetáculo busca em sua essência a emoção para a construção das cenas. A interpretação do ator Jucinaldo Pereira é acompanhada pela luz e pela música que juntos produzem um espetáculo recheado de tensão, risos e emoções. E quem assina a música e iluminação são Chris Maurício e Marinalva Rodrigues, respectivamente.

O cenário e o figurino é assinado por Valter Araújo que divide a responsabilidade com Sânzia Márcia no figurino e Ricardo Martins na cenografia.