Turistas acima de 60 anos um mercado em crescimento

0
936
Imagem: Divulgação

O Brasil já tem mais de 27 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Segundo relatório do Banco Mundial, a estimativa é que 65 milhões de brasileiros tenham mais de 60 anos, até o ano de 2050

por Regina Amorim

Projeções do Fundo de Populações das Nações Unidas indicam que 01 em cada 09 pessoas, no mundo, tem 60 anos ou mais. Projeta-se que esse número, em 2050, chegue a 2 bilhões de pessoas ou 22% da população global.

Esses indicadores podem nortear os empreendimentos turísticos para maior atenção a esse público, dos quais 84% optam por viajar acompanhados e apenas 15% optam por viajar sozinhos.

Esse segmento de mercado tão considerável, consome cultura, natureza, busca experiências e emoções, conforto, lazer, bem-estar e qualidade de vida.  Estamos falando de pessoas que têm condição social e econômica, que já contribuíram muito com o seu tempo de serviço e agora querem ter mais tempo para curtir a família, os amigos e conhecer novos destinos turísticos.

São pessoas atualizadas, que usam as redes sociais, que frequentam academias de ginástica, que estão contribuindo para desconstruir velhos conceitos e construir novos conceitos sobre envelhecimento saudável, longevidade, vida com maior autonomia, considerando algumas limitações, decorrentes de uma fase natural da vida.

É necessário que mais empresas e mais gestores públicos tenham foco no turista “acima de 60 anos”, que é uma tendência e que pela disponibilidade de tempo para viajar em qualquer época do ano, tem condição financeira, e esse é um dos segmentos que muito contribui para reduzir a sazonalidade no turismo.

Conhecer mais sobre o turista “acima de 60 anos”, e personalizar os serviços, pode ser uma excelente estratégia de mercado, para as atividades turísticas. Não estamos falando de pessoas doentes ou inválidas, estamos falando de um consumidor bem sucedido, com maturidade,  pessoas seletivas que não compram qualquer coisa, mas que buscam saúde, bem-estar e maior convivência social.

Portanto, investir em serviços adequados para essa faixa etária, poderá surpreender muitos empresários do turismo, que talvez ainda nem pensaram no retorno desse investimento.

Quer abrir um negócio turístico ou melhorar o empreendimento turístico já existente? Planeje para atender pessoas “acima de 60 anos” e pesquise sobre o comportamento desse consumidor, o que de fato, buscam ao realizar viagens de lazer. Conheça os fatores culturais que exercem mais influência sobre o comportamento desse consumidor. Como melhor ocupar o tempo de lazer dessas pessoas que vivem mais e têm uma vida mais saudável, que têm bons rendimentos, estilo de vida, personalidade e autoestima.

O significado das viagens pode ser os mais diversos: adquirir mais conhecimentos, vivenciar outras culturas, fazer novas amizades ou simplesmente realizar um sonho pessoal.

Pesquisa da consultoria Macroplan (2017) indica João Pessoa como a melhor capital do Nordeste para se viver. No ranking do País, ocupa o 12º lugar, como uma das melhores do Brasil.

João Pessoa também está no 82º lugar no ranking agregado de cidades grandes, das 498 cidades com uma boa classificação do IDL – Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (cuidados com a saúde, bem estar, finanças, habitação, educação e trabalho, cultura e engajamento, indicadores gerais), pesquisadas pelo Instituto de Longevidade Mongeral AEGON/FGV.

Precisamos ser cada vez mais referência nacional e internacional, em qualidade de vida, para moradores e turistas, acima de 60 anos. Se é bom para essa faixa etária imagina para as demais fases da vida!!

Mais informações sobre esse segmento: Ver Cartilha do Ministério do Turismo “Dicas para Atender Bem Turistas Idosos”

Consultoria e Capacitações em Turismo para Melhor Idade, consultar o SEBRAE/PB.

24058690_10214379786586112_1360129016462366419_n

Regina Medeiros Amorim
Mestre em Visão Territorial e Sustentável do Desenvolvimento, Pós graduada em Gestão e Marketing do Turismo, Gestora de Turismo do SEBRAE – Paraíba.

*O conteúdo desta matéria é de propriedade intelectual do (a) autor (a), e não reflete, necessariamente, a opinião do O Concierge.
*Esta plataforma destina-se ao debate sobre o conteúdo publicado apenas para fins informativos e de entretenimento.
*O usuário é o único responsável pelo que escreve em seu comentário, de modo que responderá integralmente por qualquer ofensa a direitos de terceiros que seu comentário possa causar.