Turismo investe em obras estruturantes para Natal

0
103
Obras no Centro de Convenções. - Imagem: Divulgação

Complexo da Rampa e ampliação do Centro de Convenções serão entregues este ano e prometem alavancar o turismo cultural e de eventos no estado

Por Geraldo Gurgel

Os dois maiores projetos estruturais do Ministério do Turismo para o Rio Grande do Norte, ambos em Natal, deverão ser entregues até o final do ano. As obras de ampliação do Centro de Convenções de Natal e de restauração do antigo prédio da Rampa, com a construção de novos equipamentos na área do complexo cultural nas margens do rio Potengi estão dentro do cronograma de execução. A expectativa é atrair grandes eventos para o estado fora de temporada.

Em fevereiro, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, visitou as obras e assegurou a liberação dos recursos pela Caixa Econômica Federal, com base na apresentação das medições dos serviços executados. As obras de ampliação do Centro de Convenções de Natal contam com repasse da ordem de R$ 30 milhões da Pasta. O local passará da área atual de 14.255,39 m² para 23.639,32 m², duplicando sua capacidade para cerca de 12 mil pessoas.

O Centro de Convenções contará com um novo pavilhão de feiras de 7,9 mil m² e mais três auditórios para 650 pessoas, cada, no pavimento inferior. Apesar de ser um destino consolidado de sol e mar, o Rio Grande do Norte ainda dependia de um equipamento de grande porte para atrair megaeventos e garantir turistas o ano inteiro na capital potiguar.

Já nas obras do Complexo da Rampa, reiniciadas há três meses, além da restauração da antiga estação de passageiros da base de hidroaviões do rio Potengi, serão construídos um novo píer e o Memorial do Aviador. A ideia é atrair visitantes locais e turistas, inclusive estrangeiros, para o local que está intimamente ligado aos primórdios da aviação e a Segunda Guerra Mundial, quando Natal sediou a maior base aérea americana fora dos Estados Unidos.

“Entendemos que são equipamentos que elevarão o turismo, a economia e, no caso da Rampa, vão colaborar para melhoria social da área”, disse o secretário estadual de Turismo, Ruy Gaspar, parceiro do Ministério do Turismo nas duas obras.

A Rampa para hidroaviões no rio Potengi foi ponto obrigatório para aviadores que atravessavam o Atlântico Sul, entre 1920 e 1945. A posição estratégica de Natal, na esquina do continente, o “cotovelo” da América do Sul, voltado para a África e Europa, também serviu como referência durante a Segunda Guerra Mundial, sendo o ponto de escala de aviões e hidroaviões mais movimentado do mundo até o término da guerra. Os recursos da ordem de R$ 8 milhões são repassados pelo Ministério do Turismo e as obras executadas pela secretaria estadual de infraestrutura.

Ascom MTur