Turismo apresenta programa de acessibilidade em Congresso Internacional de Inclusão

0
101
Isabel Barnasque discute Programa Turismo Responsável durante 1º Congresso Internacional Inclusion - Imagem: Divulgação

Programa Turismo Acessível foi discutido durante o 1º Congresso Internacional “Inclusion” em Porto de Galinhas (PE)

Por Geraldo Gurgel

A praia de Porto de Galinhas, município de Ipojuca (PE), é um exemplo de inclusão de pessoas com deficiência através do turismo. Os cadeirantes moradores ou visitantes encontram na ONG Rodas da Liberdade apoio para banho assistido em cadeiras anfíbias, rampa de acesso e esteira para deslocamento dos banhistas com deficiência ou mobilidade reduzida na areia da praia. Nos dias 19 e 20 de maio, autoridades, gestores públicos e militantes dos direitos das pessoas com deficiência se reuniram no balneário para participarem do 1º Congresso Internacional “Inclusion”.

O evento teve como objetivo disseminar conhecimentos, identificar e expor produtos e serviços para as demandas das pessoas com deficiência. Os participantes também discutiram temas como empregabilidade, empreendedorismo, tecnologias assistivas, reabilitação e inclusão social do segmento.

O Ministério do Turismo esteve presente ao congresso com estande e também com a participação da Coordenadora Geral de Turismo Responsável da Pasta, Isabel Barnasque, que fez palestra sobre o Programa Turismo Acessível. O MTur executa e articula com parceiros, gestores públicos e grupos organizados, ações e debates que visem à acessibilidade nos atrativos e prestadores de serviços.

Um exemplo é a cartilha “Dicas para atender bem turistas com deficiência”, destinada aos prestadores de serviços turísticos e gestores, com informações gerais e dicas práticas sobre como atender bem este importante público consumidor, afim de tornar o turismo uma experiência agradável e segura para todos.

Isabel Barnasque destacou que o Ministério do Turismo trabalha a acessibilidade com o objetivo de promover a inclusão social e o acesso deste público à atividade turística, de modo a permitir o alcance e a utilização de serviços, edificações e equipamentos turísticos com segurança e autonomia.

A principal ferramenta deste programa é o Guia Turismo Acessível, portal colaborativo onde é possível cadastrar-se para avaliar e consultar a acessibilidade de pontos turísticos, hotéis, restaurantes, parques e atrações diversas, bem como, incluir novos empreendimentos para que sejam avaliados. As avaliações também podem ser realizadas pelo aplicativo para smartphones “Turismo acessível”.

A Organização Mundial do Turismo (OMT) estima que 1,2 bilhão de pessoas viajam anualmente a turismo. A acessibilidade é fundamental para se cumprir a premissa de que o turismo é para todos. A Lei Geral do Turismo traz como um dos objetivos da Política Nacional de Turismo “democratizar e propiciar o acesso ao turismo no País a todos os segmentos populacionais, contribuindo para a elevação do bem-estar geral”. Um dos intuitos do Plano Nacional de Turismo é promover a incorporação de segmentos especiais de demanda ao mercado interno, em especial os idosos, os jovens e as pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

Ascom MTur