O projeto Sabadinho Bom deste dia 10 vai fazer a ponte do choro e samba à música regional. Vão se apresentar na Praça Rio Branco, a partir das 11h30, o violonista cearense, radicado na Paraíba, Chagas Fernandes e a sambista Meire Lima. Ele comanda a animação com choros memoráveis, enquanto que ela vai temperar à tarde com samba, xote e baião autorais. O Sabadinho Bom é um projeto da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Veteranos de outras edições, Chagas Fernandes promete versões de Chico Buarque, Tom Jobim, Dori Caimmy, Dilermando Reis e Luiz Gonzaga, fora valsas e tangos ao gosto do público. “Existe uma plateia fiel que nos prestigia sempre durante a realização do projeto. É um privilégio poder participar”, diz ele, que tem sete álbuns gravados.

Fernandes assumirá o violão, a guitarra e os vocais junto com Lucas Carvalho (sanfona), Jerônimo Pedro (violão de sete cordas) e Lindemberg Cardoso, seu filho (bateria).

Samba, xote e baião – O segundo tempo do projeto Sabadinho Bom, às 14h, será comandado pela cantora paraibana Meire Lima, que vai preenchê-lo com um repertório de sambas tradicionais e de roda, xote e baião.

Com um pé fincado na MPB e o outro na música regional, Meire diz que também vai cantar obras de Caetano, Caimmy (“Ilha de Maré”), Chico Buarque, Paulinho da Viola (“Meu Mundo É Hoje”), Adorinan Barbosa (“Apaga o Fogo, Mané”) e Vinicius de Moraes (“Água de Beber”).

Apesar de cantar desde pequena em igrejas, foi apenas aos 30 anos que Meire começou profissionalmente, nos barzinhos à noite. No começo, abraçou a música nordestina, como o forró, xaxado, maracatu e galope. “Canções que Eu Quis para Mim” é o primeiro CD que a artista vai lançar com este viés.

Pedro Pablo (sanfona), Michel Soares (violão), Felipe Wagner (baterista) e Tutu (contrabaixista) serão os seus parceiros de palco. Natural de Itabaiana, Meire Lima mora em João Pessoa há 30 anos, onde dá aulas de canto popular e toca contrabaixo e percussão.