O Museu Casa do Artista Popular Janete Costa, em João Pessoa, foi reaberto ao público, nessa quarta-feira (2). O governador Ricardo Coutinho fez a entrega da reforma, que recebeu investimento superior a R$ 200 mil. Localizado na Praça da Independência, no Centro da Capital, o museu reúne o que há de mais representativo no artesanato e na arte popular paraibana.

casa-do-artista-popular-foto-francisco-frança-11

Ricardo estava acompanhado da primeira-dama, Pâmela Bório, que coordena o Programa de Artesanato da Paraíba (PAP). Na ocasião, ele destacou a importância da revitalização do espaço para o segmento cultural do Estado. “A Casa do Artista Popular, um museu que trata da arte popular, volta a ser aberta aos visitantes, os turistas aqui vêm em busca da arte, da cultura, do artesanato”, observou.

O governador ressaltou que o museu tem como desafios ocupar cultural e artisticamente sua área externa e dispor as peças de artesanato à venda para que turistas e visitantes possam comprar os objetos. “O artesanato é uma identidade cultural muito forte no nosso Estado com a participação dos artesãos cadastrados no Programa de Artesanato da Paraíba, gerando renda”, completou.

casa-do-artista-popular-foto-francisco-frança-8

Ele ainda destacou que outros equipamentos culturais estão em obras de reforma ou construção, a exemplo do Teatro Santa Roza, do Espaço Cultural, da Casa do Artesão e do Mercado do Artesanato Paraibano, em João Pessoa; do Teatro Íracles Pires, em Cajazeiras, do Cine-Teatro São José, em Campina Grande. Em breve, será concluído o Teatro do Centro de Convenções na Capital.

A coordenadora geral do PAP, Pâmela Bório, destacou a importância do Museu Casa do Artista Popular. “O artesanato representa o resgate de tradições e este museu é uma potência cultural extraordinária, as pessoas vão valorizar cada vez mais espaços como esse e a gente espera que o fluxo turístico aumente. Este é um momento histórico de valorização da nossa arte, da nossa cultura”, comemorou. Pâmela agradeceu a todas as pessoas envolvidas na reforma do Museu Casa do Artista Popular.

casa-do-artista-popular-foto-francisco-frança-6

A recuperação foi realizada pela Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan) e a manutenção foi coordenada pela arquiteta Sílvia Camelo. O Museu foi inaugurado em 2006 e conta com nove salas, 34 módulos para exposição e um acervo de 1.733 peças. Toda a parte externa, onde ficam locados a Curadoria do Artesanato e o PAP também foram restaurados.

A obra contemplou reparos na cobertura, instalações elétricas e hidráulicas, repintura interna e externa e recuperação do jardim. Todo esse processo foi necessário para preservar tanto a edificação quanto as peças. “A fim de garantir a integridade física do acervo, houve a necessidade de desocupar a edificação, conforme orientação e solicitação da construtora contratada para executar a obra”, explicou Pâmela.

Segundo a diretora do museu, Pedrita Tavares, todas as peças foram retiradas do Museu, embaladas e catalogadas, com a supervisão técnica de um profissional que trabalha com selo de qualidade da comunidade europeia, o ISO 9001 Quality Management Systems Certification, deixando-as reservadas em uma sala ampla e arejada. Esse procedimento foi essencial para preservar as peças tanto no processo de mudança, quanto durante o período da reforma.

O secretário de Estado da Cultura, Chico César, enfatizou a importância do Museu. “Uma casa como esta serve também como ponto simbólico do sentimento de pertença e de território”, reforçou.

Na avaliação da gestora do Programa de Artesanato da Paraíba, Ladjane Barbosa, a reabertura do Museu Casa do Artista Popular representa um marco. “Qualquer equipamento cultural deve ser mantido e preservado para os paraibanos e para os turistas que nos visitam e se deparam com muita beleza, muita arte e cultura”, comentou.

A artesã Maria Helena Cavalcanti, especialista em esculturas em cerâmica, prestigiou a solenidade e afirmou que o museu é uma referência para os artesãos paraibanos e destino procurados pelos turistas.

Participaram da solenidade os secretários de Estado Renato Feliciano (Turismo e Desenvolvimento Econômico), Amazile Vieira (executiva de Cultura), Ricardo Barbosa (secretário executivo do PAC e superintendente da Suplan), Ruth Avelino (presidente da PBTUR), Lu Maia (vice-presidente da Funesc), o escultor Miguel dos Santos, o artista plástico Chico Pereira; o prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena; o curador do Museu, José Nilton, e vários artesãos.

A Casa do Artista Popular funciona de terça a sexta-feira das 9h às 17h e aos sábados, domingos e feriados no horário das 10h às 18h.