Nesta terça-feira 5 de agosto, dia do aniversário dos 429 anos da cidade de João Pessoa, as famílias pessoenses foram até o Ponto de Cem Réis assistir duas apresentações emocionantes. O cantador e repentista Oliveira de Panelas homenageou o escritor paraibano Ariano Suassuna, e a Banda 5 de Agosto fez um concerto especial marcando os 50 anos de atividades da banda mais antiga da Capital paraibana.

Festa das Neves 2014

O prefeito Luciano Cartaxo, acompanhado da primeira dama Maysa Cartaxo, do diretor da Funjope, Maurício Burity, e do secretário de Comunicação, Marcos Vinícius, e outros auxiliares, aproveitou a oportunidade para dizer que está comemorando o aniversário da Capital paraibana com muito trabalho.

“Temos um calendário, uma vasta programação para a entrega de 21 obras para a cidade na área de saúde, educação, cultura, esporte e infraestrutura. Estamos entregando equipamentos prontos e de qualidade para a população de João Pessoa, e isso é motivo de muito orgulho e alegria por ter a oportunidade de trabalhar pela cidade. Espero poder fazer ainda mais, tornar nossa cidade mais humanizada, com mais qualidade de vida, e esse é o nosso grande desafio”.

Pavarotti dos Sertões – Abrindo os shows no palco principal, com mais de 50 anos de carreira, Oliveira de Panelas, pernambucano radicado na Paraíba, fez uma apresentação repleta de improvisos, músicas e histórias, e entre elas, algumas vividas com o escritor Ariano Suassuna.

Luciano_Bnada5deagosto_foto_JulianaSantos-235

Entre as músicas escolhidas para a apresentação estavam “Eu não troco meu oxente, no OK de seu ninguém”, “O amor cósmico”, “Caboclo Livre” e “Anjo bom”. Todas essas estavam na lista das preferidas do escritor paraibano.

Antes de subir ao palco, o “Pavarotti dos Sertões” ressaltou: “O que vale é a intenção da homenagem. Vou trazer um mesclado do que ele fazia nas suas aulas-espetáculos. Sou um admirador dele, aprendi muito com ele, e tínhamos muitas coisas em comum, como o patriotismo”.

Homenagem – Durante o concerto que marcou o encerramento da Festa de Nossa Senhora das Neves, a bandinha recebeu convidados, homenagens e os aplausos do público presente. Na ocasião, cada um dos 53 músicos foi agraciado com medalhas entregues pelo prefeito Luciano Cartaxo e pela primeira-dama Maísa Cartaxo.

“Esta é uma justa homenagem a esta banda que faz parte da história de João Pessoa”, destacou Luciano Cartaxo. “É muito bom poder ter esse momento de valorização de um símbolo que é nosso e que representa tanto a cidade. Todo o povo de João Pessoa se orgulha da trajetória da Banda 5 de Agosto”, complementou.

Festa das Neves 2014

Na opinião do diretor da Funjope, Maurício Burity, “os músicos da 5 da Agosto possuem um papel relevante na cultura de João Pessoa, e nada mais justo do que o reconhecimento por isso. Desejamos cada vez mais que a banda se consolide, mantendo o bom nome que eles conseguiram obter ao longo destes 50 anos”.

O maestro Adelson Machado, que aos 76 anos é o único remanescente da fundação da “bandinha”, regeu algumas das 28 canções tocadas pelos 52 músicos, e falou da felicidade de presenciar este momento. “Foi com muito sacrifício que formamos o grupo, e tenho orgulho de dizer que foi na Festa das Neves a nossa primeira apresentação. É uma emoção grande, é muita felicidade”, revelou.

Concerto – Para a noite especial, a Banda 5 de agosto preparou um grande concerto comemorativo, contando com a regência adjunta de Rogério Borges e com a participação dos solistas Maria Juliana e Paulo Brasil; e dos cantores Renata Arruda e Erick Von Sohsten. Também participaram a  banda Limousine 58 e o Balé Popular da UFPB.

No repertório estava a marca da banda: a variedade. No total foram 28 músicas, e a abertura foi feita com a apresentação de “Saudade de Nazareth” (Levino Ferreira), que foi o primeiro dobrado executado pelo grupo em 1964.

Durante cerca de duas horas o grupo passou por peças como O Guarani, de Carlos Gomes, trilhas do teatro, como “I Dreamed a Dream”, de Os Miseráveis, e “All I Ask of You”, de O Fantasma da Ópera; sucessos paraibanos como Estilhaços, de Cátia de França e Por Amor ao Forró, de Pinto do Acordeon.

Na segunda metade, participações especiais abrilhantaram ainda mais o show. Ao lado da Limousine 58, a banda entoou “Incerteza” e “Mistérios”. Com Erick Von Sohsten vieram os sucesso “Mais” e “Chão de Giz”; e ao lado de Renata Arruda animou a plateia com os sucessos “Ouro pra mim” e “Porta do Sol”.

Músicos – O músico Erick Von Sohsten revelou que foi uma honra participar deste show. “A Banda 5 de Agosto faz parte da história musical de João Pessoa, e são 50 anos de trabalho. Me senti lisonjeado e honrado pelo convite feito pela Funjope”.

A cantora Maria Juliana, uma das convidadas para o show, enfatizou que acompanha o trabalho do grupo e viu de perto a construção dos arranjos feitos especialmente para esta noite. “Estar nesta festa é algo muito gratificante. A banda é um patrimônio da cidade, um tipo de formação que é muito tradicional e tem tudo a ver com João Pessoa”.

A cantora e compositora Renata Arruda também se disse honrada pelo convite. “Vi os arranjos das minhas músicas sendo tocados bela banda, e foi lindo. Estou muito feliz de estar participando do aniversário da minha cidade e da 5 de Agosto”.

Lembranças – Para o público presente na homenagem, a Banda 5 de Agosto é sinal de boas lembranças. “Não tem como ouvir a banda tocar e não lembrarmos de momentos marcantes da cidade e de nossas próprias vidas. Os principais fatos da cidade aconteceram ao som da 5 de Agosto”, declarou o professor Gabriel Oliveira.

A empresária Júlia Ribeiro ficou feliz em ver os músicos homenageados. “Eles são um pedaço de João Pessoa, fazem parte da alma, da cultura e da tradição desta cidade, por isso é bom ver toda este trabalho e esta dedicação serem reconhecidos”, afirmou.

História – O fato determinante para que esta homenagem ocorresse nesta terça aconteceu há mais de 50 anos, quando um grupo de jovens apaixonados por música resolveu levar adiante o sonho de formar uma banda civil. O ato só se concretizou em 1964, com o apoio do então prefeito Domingos Mendonça, que no dia 20 de outubro oficializou a criação da Banda 5 de Agosto.Luciano_Bnada5deagosto_foto_JulianaSantos 235

De lá pra cá a banda mudou. Em 1966 abriu espaço para o ingresso de civis, abandonando a tradição de receber militares reformados, e em 1992 acolheu sua primeira mulher: a instrumentista Niedja Macena. Nestes 50 anos também mudou em números, passando de 25 para 53 músicos, responsáveis por onze naipes de instrumentos.

Outra diferença é o estilo. Se no princípio a banda primava pelo estilo marcial, hoje é conhecida pela universalidade e versatilidade de seu repertório. “A primeira música popular que tocamos foi o samba ‘Vítimas Iguais’, de Alcides Geraldo”, revelou o maestro Adelson Machado, de 76 anos, um três únicos remanescentes da formação original.

Adelson começou na banda tocando sax tenor e há 22 anos se orgulha de reger todo o grupo. “É uma alegria muito grande poder ver que a Banda se consolidou e permaneceu por tanto tempo. Tenho certeza que meus colegas fundadores, cuja maioria já se foi, estão muito felizes com esta homenagem e com esta apresentação tão especial”, declarou.