Nesta terça-feira (5), último dia da Festa das Neves e aniversário dos 429 anos de João Pessoa, foi aberta pelo prefeito Luciano Cartaxao e pela primeira-dama Maysa Cartaxo, no Casarão 34, a exposição ‘Novos Olhares Sobre a Cidade’. A mostra é uma coletânea de fotos feitas pelos repórteres fotográficos da Secretaria de Comunicação (Secom) de João Pessoa e, através das imagens, é contada a nova história da Capital paraibana.

adefadfad

O gestor municipal estava acompanho do diretor da Funjope, Maurício Burity, do secretário de Comunicação, Marcos Vinícius, e de outros  auxiliares, sendo recebido por alguns dos fotógrafos que fazem parte da exposição.

Na visão do prefeito, essa mostra sintetiza o trabalho feito por uma gestão humana, “que pensa e trabalha com o coração, para garantir que todos possam viver melhor”.

Para o jornalista Wills Leal, a exposição é “fantástica”. “É possível notar que aqui estão ângulos que mostram uma nova imagem, um novo tempo, um novo olhar”.

Exposição e livro – As fotos do Casarão 34 registram os 500 dias da gestão do prefeito Luciano Cartaxo, trazendo algumas obras, pessoas, festas, artesanato, prédios e a natureza de uma das cidades mais verdes do Brasil. Todo material foi reunido em um livro publicado especialmente em comemoração ao aniversário da Capital paraibana.

As fotografias foram selecionadas por Juca Pontes, editor da publicação, e é resultado do olhar dos fotógrafos Adriano Franco, Alessandro Potter, Cornélio Felipe, Dayse Eusébio, Gilberto Firmino, Juliana Santos, Manoel Martiliano, Rafael Queiroz e Rafael Passos.Luciano_Bnada5deagosto_foto_JulianaSantos-406

Cultura popular – Além dos shows da festa das Neves no Ponto de Cem Réis, nesta terça-feira (5), as pessoas também prestigiaram as apresentações no Pavilhão dos Brincantes, localizada na Praça Dom Adauto. Para este espaço foram convidados Mestre Braw, o cordelista Vicente Campos Filho, o Grupo Cavalo Marinho Semente João Boi, Grupo Jacoca, Grupo Ajamulher e o Grupo Amantes da Rabeca.

Para a doméstica Maria do Carmo, que estava acompanhada do marido, filhos e netos, o Pavilhão dos Brincantes foi um ótimo lugar para levar as crianças: “Gostei muito da Festa das Neves deste ano. A programação estava mais para a família, e nesse pavilhão aproveitei para mostrar para os meus netos as danças da minha infância. Teve muita ciranda, muita música que eles não conheciam”.

Tenda do Cordel – A tenda do Cordel foi o local ideal para quem queria adquirir novos exemplares ou até mesmo ser iniciado neste que é um dos principais gêneros literários popular.

O estudante Rafael Pedrosa aproveitou a oportunidade para aumentar a sua coleção: “Acho que estive todos os dias na Festa das Neves, e sempre acabei levando um cordel para casa. Me encanta os relatos em forma de rima, e cada vez mais as histórias são atuais”.

funjope_culturapopular_festaneves_fotoadrianofranco_02

Tenda Arte e Cena – Durante todos dos dias da Festa das Neves, a Praça Rio Branco serviu de palco para grupos culturais de diversos estilos. No fechamento da festa, as apresentações foram feitas pela Companhia Docas (aula-espetáculo “Chão de Dois – Corporeidades Brasileiras: da Tradição à Cena Contemporânea”) e Grupo Experimental Cena Aberta (A Saga de Daluz).

No Beco da antiga Faculdade de Direito, na Associação Cultural Recreativa Anjo Azul (Acraa), as pessoas puderam assistir ao espetáculo “Confraria de Malagrida” do Maracatu Nação Pé de Elefante. Também aconteceram a exposição “Parede Poética do Sesc” e a performance de Anayde Beiriz com a atriz Raquel Ferreira.