O Brasil é o maior mercado turístico da América Latina e, na Paraíba, pela primeira vez na história, Governo Estadual, Municipal e trade uniram-se em prol do turismo, tornando-o prioridade. Com isso, os resultados positivos para a economia e para o desenvolvimento social começaram a  aparecer.  Hoje, o Estado vive um dos seus melhores momentos no setor do turismo. As belezas naturais, a cultura e a hospitalidade paraibana estão em alta. A Paraíba já é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros que saem de férias dentro do país e já estamos sendo notados pelo mercado internacional também.

Pensando nisso, muitos profissionais, antenados com as mudanças que o mercado exige e no potencial turístico do Estado, optaram por buscar capacitação e empregos justamente na área do turismo.

Com o aumento da demanda do turismo no Estado, novas oportunidades surgiram na área do turismo para profissionais ligados a esse setor. Novos cursos técnicos foram criados na capital e o número de profissionais formados aumentou; um desses cursos foi o de Guia de Turismo.

No período que antecedeu à Copa do Mundo, criou-se uma grande expectativa em torno da quantidade de turistas previstos para visitar o Estado durante o evento. Essa expectativa serviu de incentivo para que não só novos profissionais fossem formados, mas também para  que os profissionais que já atuavam no mercado, buscassem capacitação.  No que diz respeito ao aprendizado de uma língua estrangeira, a mais procurada, por ser considerada universal, foi o  inglês.

Aliado aos diversos cursos privados criados visando à Copa do Mundo, o Ministério do Turismo disponibilizou, por meio do Ministério da Educação, para as doze cidades sedes da Copa do Mundo e João Pessoa o PRONATEC DO TURISMO – Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego.  O objetivo foi capacitar os profissionais já existentes no mercado para atender com qualidade e competência os visitantes, fortalecendo assim a imagem do país como destino turístico. Foram oferecidos 54 cursos presenciais e gratuitos, ligados às atividades do receptivo turístico, para capacitar quem já trabalhava no setor de turismo e 21 cursos para quem pretendia ser inserido no setor.

Professor Joacir Ribeiro
Professor Joacir Ribeiro

“Considero o PRONATEC um programa importantíssimo para o processo de qualificação da população, principalmente para aqueles menos favorecidos. Hoje a oportunidade de qualificação profissional aplica-se a todos e as empresas agradecem, já que antes do Pronatec existia uma grande carência de profissionais qualificados no mercado”. Ressalta Joacir Ribeiro que é professor e coordenador do curso de Guias de Turismo na UNEPI, em João Pessoa. Joacir Ribeiro ainda afirma sobre a demanda dos formandos no curso de Guia de Turismo na Capital: “A demanda por guias de turismo credenciados tem crescido significativamente; tanto é verdade que até mesmo aqueles que não são guias de turismo, conhecidos popularmente como ‘piratas’, trabalham no exercício ilegal da profissão. Obviamente que só os melhores  serão bem sucedidos, assim como em qualquer outra profissão. ”

Após a construção do Centro de Convenções de João Pessoa, que hoje é considerado um dos maiores e mais modernos do país, a cidade de João Pessoa está capacitada para receber qualquer tipo de evento, seja nacional ou internacional. Assim, a capital paraibana definitivamente passa a fazer parte do circuito de eventos de negócios. Dessa forma, a capital paraibana deixa de ser um destino não só de turismo de lazer (Sol & Mar), que todos sabem que é sazonal e que sua melhor ocupação acontece nos meses do verão e passa a ter um fluxo na baixa temporada preenchido pelos eventos de negócios no Centro de Convenções. O resultado disso é que passamos a ter turistas o ano inteiro.

Quem pode ser guia de Turismo?

Poderá exercer a função de Guia de Turismo, nos termos da Lei nº 8623 de 28 de janeiro de 1993, a pessoa maior de 18 anos, com ensino médio, que possuir o curso de Qualificação Profissional e cadastro no Ministério do Turismo.

Conforme a lei acima mencionada, constituem atribuições do Guia de Turismo:
• Acompanhar, orientar e transmitir informações a pessoas ou grupos em visitas, excursões urbanas, municipais, estaduais, interestaduais ou especializadas, dentro do território nacional.
• Acompanhar, ao exterior, pessoas ou grupos organizados no Brasil.
• Promover e orientar despachos e liberação de passageiros e suas respectivas bagagens em terminais de embarques e desembarques aéreos, marítimos, fluviais, rodoviários e ferroviários.
• Ter acesso a todos os veículos de transporte, durante o embarque ou desembarque, para orientar as pessoas ou grupos sob a sua responsabilidade, observadas as normas específicas do respectivo terminal.
• Ter acesso gratuito a museus, galerias de arte, exposições, feiras, bibliotecas e pontos de interesse turístico, quando estiver conduzindo ou não pessoas ou grupos, observadas as normas de cada estabelecimento, desde que devidamente credenciado como Guia de Turismo, dentre outras.

Segundo a OMT – Organização Mundial de Turismo, a atividade turística envolve mais de 52 setores da economia, e é considerado o segmento que mais gera empregos diretos e indiretos do setor produtivo.

Para o Ministério do Trabalho e Emprego, 2,7 milhões de trabalhadores formais atuam no segmento turístico brasileiro. A maior parte na área de alimentos e bebidas e hotelaria. Mas existem outros profissionais autônomos  ou não que também fazem parte dessa cadeia produtiva; e o Guia de Turismo é um deles.

Quanto mais capacitado estiver o Guia de Turismo, mais condições encontrará de desenvolver a atividade turística a que se propôs. Ser dinâmico, simpático, ético, criativo, agir com responsabilidade e imparcialidade, respeitar seus guiados e todos os parceiros profissionais,  ser capaz de se expressar bem em Português e dominar a historia dos lugares visitados fazem do guia um excelente profissional do turismo.

Fotos: Reprodução