Crédito: Gustavo Messina/Ascom/MTur

Programa, que tem o Ministério do Turismo entre os jurados, contempla praias e marinas reconhecidas pela preocupação ambiental

Por André Martins

O júri nacional do Programa Bandeira Azul, que reconhece praias e marinas ambientalmente sustentáveis ao redor do mundo, esteve reunido na quarta-feira (29) para avaliar candidaturas à certificação ou à renovação do título. O encontro ocorreu na sede do Ministério do Turismo, em Brasília.  O projeto da Foundation for Environmental Education (FEE), composta por organizações não governamentais de 46 países, contempla locais que seguem critérios como educação ambiental, coleta seletiva de lixo e boa qualidade da água, entre outras ações voltadas à preservação da natureza.

Para a temporada 2016/17, seis representantes nacionais podem manter o selo: a Praia do Tombo, no Guarujá (SP); a Prainha, no Rio de Janeiro (RJ); a Praia de Palmas, em Governador Celso Ramos (SC), e a Praia da Lagoa do Peri, em Florianópolis (SC), além das marinas Costabella, em Angra dos Reis (RJ), e a Marinas Nacionais, no Guarujá (SP).

Já a Praia de Ponta de Nossa Senhora, em Salvador (BA), a Praia Grande, em Governador Celso Ramos (SC), e o Iate Clube de Santa Catarina, em Florianópolis (SC), disputam a certificação pela primeira vez.

Cristiano Borges, coordenador-geral de Produtos Turísticos do Ministério do Turismo, que integra o júri, frisa que o reconhecimento cria um diferencial positivo. “O selo é muito valorizado pelo turista, especialmente o internacional, que procura saber se o local tem alguma certificação na área de sustentabilidade”, destaca.

Em 30 anos, o programa já certificou quase quatro mil espaços. Para Leana Bernardi, coordenadora do Bandeira Azul pelo Instituto Ambientes em Rede, operador do projeto no país, o setor tem aderido à iniciativa. “O empresário e os municípios veem que a certificação traz visibilidade e por isso temos registrado uma grande receptividade”, conta.

Ainda integram o júri nacional, o Ministério do Meio Ambiente e a Secretaria do Patrimônio da União, entre outros órgãos. O resultado final do processo será anunciado em outubro pela Foundation for Environmental Education.

TURISMO RESPONSÁVEL – Como forma de promover o Turismo Sustentável, o Ministério do Turismo, em parceria com o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) e o Ministério do Meio Ambiente, promove o Passaporte Verde.

A campanha recomenda a adoção de atitudes sustentáveis por viajantes, incentiva o engajamento de empresários do setor e oferece dicas de roteiros que estimulam boas práticas.

Ouça áudio / download (mp3) em que o coordenador Cristiano Borges frisa a importância do selo Bandeira Azul para a valorização das localidades contempladas.

Ascom MTur

Foto: Divulgação