Terminou neste domingo (17), às 19h, a II Mostra Municipal de Dança promovida pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). A temporada de apresentações gratuitas na Praça Antenor Navarro reuniu, desde a última quinta (14), consagradas companhias nacionais e locais que movimentaram a cena cultural do Centro Histórico com performances de balé moderno, contemporâneo, clássico, dança de rua e regional.

Sete espetáculos se despedem da mostra: os solos executados por Rita Spinelli (Memórias), a homenageada da edição, por Clara Jerônimo (Eu sou, e daí?) e por Ivana M. Barreto (Sem o que você não pode viver), e os espetáculos “Bagaço”, da Mais um Coletivo de Arte, “Eu, tu, ele, nós”, da Jazz e Cia., “Suíte”, da Escola de Dança do Teatro Santa Roza e “Da ponta da língua à ponta do pé”, da baiana Viladança.

A Mostra Municipal de Dança é atualmente o principal evento voltado ao segmento de João Pessoa. Neste ano, participaram da temporada 18 grupos, sendo 14 locais e quatro do Rio de Janeiro, Bahia, Goiás e Minas Gerais.

A temporada serviu de parâmetro para dimensionar o que de mais interessante eFestival de Dança PMJP - foto RafaelPassosstá sendo produzido nos palcos brasileiros, caso da espetacular performance “Retina”, da mineira Camaleão Grupo de Dança, da última quinta-feira (14), ou da fervilhante Companhia Quasar, de Goiânia, na sexta (15), vencedora do prêmio Funarte.

Em “No Singular”, os dez dançarinos encenaram uma bem-humorada revisão sobre a velocidade das informações em tempos atuais com uma coreografia vibrante que levantou a plateia.

Programação:

Domingo (17):

18h30 – “Sem o que você não pode viver?”, com a solista Ivana M. Barreto (RJ)

19h – “Memórias”, Rita Spinelli (PB)

19h10 – “Eu sou, e daí?”, Clara Jerônimo (PB)

19h20 – “Bagaço”, Mais um Coletivo de Arte (PB)

19h30 – “Eu, tu, ele, nós”, Jazz e Cia. (PB)

19h40 – “Suíte”, Escola de Dança do Teatro Santa Roza (PB)
20h – “Da ponta da língua à ponta do pé”, Viladança (BA)

Veja as sinopses dos espetáculos:

“Memórias”, com Rita Spinelli  – A coreografia é assinada por Rita Spinelli, a homenageada da II Mostra Municipal de Dança. Com direção de Giliane Paixão, o espetáculo evoca as lembranças dos antigos carnavais, vivenciadas através das marchinhas e máscaras, em um jogo coreográfico que alterna movimentos explosivos e suaves.

Rita começou os estudos na Escola de Dança do Teatro Santa Roza aos 7 anos. Cursou o Balé José Enoch, Old’Mar e Escola de Dança da Fundação Espaço Cultural (Funesc). Pós-graduada em Dança pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e licenciada em Educação Física, passou a dedicar-se à dança contemporânea. Fundou a Escola de Balé de Cabedelo, coordenando e ministrando aulas por 24 anos.

Foi professora da Escola de Dança do Teatro Santa Roza, do Balé Studio José Enoch e de várias companhias de João Pessoa. Atualmente atua como bailarina e diretora artística na Cia. Rima de Dança, premiada em vários festivais e mostras.

 “Suíte”, Escola de Dança do Theatro Santa Roza (PB) – A Escola de Dança do Teatro Santa Roza é uma das mais tradicionais da cidade na formação de bailarinos. Destaca-se em suas apresentações pelo bom nível técnico dos seus integrantes, sendo uma referência no balé clássico.

 “Da ponta da língua à ponta do pé”, Viladança (BA) – O espetáculo infantojuvenil “Da ponta da língua à ponta do pé” reúne dança, teatro e música com o objetivo de atrair o interesse do público jovem pelas artes cênicas. A montagem, que completa em 2014 dez anos, já foi vista por cerca de 80 mil espectadores em diversos estados.

A história, com toques de comédia romântica, é contada a partir da saga de Zé, um garoto que faz de tudo para conquistar o amor da bailarina Isadora, numa aventura que o leva a se apaixonar pelo mundo da dança. Com a ajuda de uma professora, ele viaja desde a pré-história até os palcos contemporâneos. No espetáculo, os dançarinos valem-se de gírias, temas e dúvidas tipicamente adolescentes para buscar aproximar e divertir o público infanto-juvenil.