Mitos e verdades que você precisa saber para imigrar para Canadá

0
2569
Celina Hui - Fundadora Immi Canada - Imagem: Divulgação

É comum encontrar na internet anúncios de bolsas e oportunidades para brasileiros no exterior, principalmente no Canadá. O país, que é destino preferido não só de intercambistas, tem sido procurado principalmente por brasileiros que buscam uma nova vida no exterior.

A especialista em imigração para o país, CEO da Immi Canada, Celina Hui lembra que é preciso tomar cuidado com essas notícias: “a internet é uma fonte inesgotável e vasta de coleta de dados e informações a respeito de absolutamente tudo. O problema é que, infelizmente, nem tudo provém de fontes confiáveis e, muitas vezes, o leitor se depara com afirmações falsas, confusas e não verificadas”.

As regras de imigração mudam constantemente e, por isso, o planejamento de tomar esta decisão demanda não só investimento, mas cuidado. Para alertar as pessoas sobre alguns “fatos” que circulam pela internet, a Immi Canada preparou uma série de dicas sobre o assunto:

O Canadá quer e precisa de imigrantes brasileiros. Mito.

O Canadá é um país aberto à imigração, mas o que ele quer e precisa são de imigrantes qualificados de qualquer lugar do mundo. Por vezes, as pessoas se enganam, pensando que a necessidade do território canadense é por cidadãos brasileiros, o que, de maneira nenhuma, é verdade.  Para se ter uma ideia, o Statistics Canada, que é o órgão governamental que realiza pesquisas e tabula dados dos mais variados a respeito do país, divulgou neste ano que, em 20 anos, metade da população canadense será de imigrantes ou de filhos de imigrantes. Não há uma preferência pela nacionalidade.

O processo de imigração para o país é fácil e barato. Mito.

Nenhum processo de imigração, seja para o onde for, é barato e simples. Cada candidato possui um perfil muito particular e, aliado a isto, o Canadá possui diversas maneiras e processos de imigração diferentes. Além de todos os pré-requisitos que o candidato precisa ter, o aplicante precisa comprovar recursos financeiros ao governo e dar conta dos custos dos processos, passagens aéreas, mudança e outras despesas pessoais.

Qualquer pessoa pode imigrar para o Canadá. Verdade e mito.

Essa afirmação se enquadra na categoria de mito, pois o país exige que o candidato se enquadre em determinadas exigências feitas pelo governo canadense. O interessado precisa ter um bom nível de inglês, uma quantia em dinheiro e uma profissão em demanda no país. Porém, a frase também se enquadra em uma verdade pois, com planejamento e persistência, pode-se atingir, em curto ou médio prazo, dependendo de cada caso, as exigências da imigração canadense.

O processo de encontrar um emprego no Canadá, em minha área de atuação, pode ser demorado. Verdade.

A real impressão e o tempo que cada um vai levar para encontrar um bom emprego na área de atuação dependem de uma série de fatores, como: nível de inglês e/ou francês, experiência anterior na função, demanda da profissão no Canadá, se a especialidade exercida é regulamentada ou não, dentre outros. Além disso, é importante estar preparado para trabalhar em outras áreas que não seja a própria.

Preciso ter um bom nível de inglês e/ou francês para dar entrada no processo de imigração. Verdade.

Para imigrar para o Canadá, o candidato precisa provar um bom nível de inglês e/ou francês. No caso de ter fluência nos dois idiomas, terá mais pontos no ranking do processo.

Preciso falar francês para imigrar e conseguir um bom emprego no Canadá.

Mito.

Somente na província de Quebec o francês é a primeira língua e, para quem quer imigrar para lá, o idioma francófono será um requisito. Para as demais províncias, o inglês é a língua falada pela imensa maioria da população e o candidato não precisará, necessariamente, ter conhecimentos do francês para imigrar ou conseguir um emprego.

Todos os imigrantes têm saúde, segurança e educação pública disponíveis gratuitamente no país. Verdade e mito.

A segurança, saúde e educação são asseguradas para qualquer residente permanente ou cidadão canadense. Porém, existem alguns pormenores nesta afirmação. Caso o aplicante vá primeiro estudar para depois dar entrada no processo de imigração, por exemplo, no período dos estudos, ele não tem direito a saúde pública em todas as províncias, variando de região para região.

Com relação a segurança a afirmativa é mais que verdadeira: em 2015 (último ano com dados brasileiros atualizados), no Canadá ocorreram 604 assassinatos. O número do Brasil chega quase a 60 mil, pelo mesmo período. Já com relação à educação, a afirmação é mito e verdade. Para as crianças, geralmente a escola é bancada pelo governo a partir dos quatro anos (pode variar dependendo de cada província) até  a formação no high school (equivalente ao ensino médio brasileiro). Com relação à colleges, universities, programas de pós-graduação e cursos de aperfeiçoamento e especializações, todos eles são pagos, tanto por canadenses quanto por imigrantes.

Para mais informações: www.immi-canada.com