Por Elba GGomes

Era alto, olhos claros, porte altivo. Sua retidão de caráter era o que mais nos impressionava. Conduziu com pulso firme uma prole numerosa – onze filhos  –  viu a família se multiplicar  e conseguiu o quase impossível – a união de todos.

De tantas coisas que aprendemos com ele, uma era fundamental: “palavra empenhada não tem volta”. Caiu e levantou-se tantas vezes quanto a vida o exigiu. Espírito vivo, inteligente, era de uma sagacidade impressionante. Tinha colocações prontas e rápidas para qualquer situação. Senso de humor aguçado, suas “tiradas” faziam-nos rir.

Uma das coisas que mais me impressionavam nele era o respeito com que tratava nossa mãe. Embora sem verbalizar, suas atitudes sempre demonstraram o quanto gostava dela. Era sempre muito grato a quem o servia e, no Natal, adorava distribuir queijos do reino entre os filhos.

Considerava especialmente os genros e as noras e, embora pouco expansivo com os filhos, deu oportunidade a quantos quiseram estudar e, generoso, estendeu a mão a todos que dele necessitaram. Adorava casa cheia e ficava feliz quando fazia as refeições com filhos e netos. Formado na tradicional cultura nordestina, acompanhou a evolução dos costumes e, já idoso, até coava o café, pela manhã. Gostava de exibir um bom carro e, aos domingos, costumava visitar os filhos que moravam em casas, ocasiões em que aproveitava para “dar banho no carro”.

Era um exímio jogador de “gamão”. Depois de aposentado, sua maior distração era jogar “buraco” com amigos e com os filhos mais velhos. Com isso, a casa estava sempre movimentada e ele orgulhava-se de suas muitas vitórias. Às vezes, jogava “dominó” e, quase sempre, derrubava os adversários.

Foi um grande homem: complexo, multifacetado, batalhador, íntegro e acima de tudo, um vencedor. Sua presença vigorosa imprimiu em todos nós a marca indelével de um ser humano cuja dignidade norteia sua descendência. Quando completou 80 anos, tentei resumir sua trajetória de vida no poema abaixo.

José Gomes da Silva
José Gomes da Silva

Ode a José

No sertão da Paraíba

Onde o sol nasce primeiro

Na longínqua Serrânia

De matutos brejeiros

Nasceu José Gomes

Filho de Manuel e Maria

José de muitos irmãos

José de tantos sonhos

José, José de então

 

Na terra labutou

Mil sonhos cultivou

E muitos realizou.

Universidade pra quê?

A da vida o formou.

Na escola do mundo

Luta renhida travou

Em busca de seu ideal

 

E nas suas andanças

Encontrou D. Yayá

Moça bela e altaneira

E com ela veio a casar

E os filhos foram chegando

Tantos quanto planejou

Um, dois, três… onze

E um time ele formou

 

Batalhando mais e mais

Para os filhos encaminhar

Chegou à nova Capital

Pra outra luta começar

E no Congresso Nacional

Entre tantos luminares

Servidor humilde, mas altivo

José precisa melhorar

-Tem concurso, seu José

Vamos ter que estudar!

 

E José abre os livros

Há tanto tempo esquecido

E prova pra todos os filhos

Que vale a pena lutar

E José de tantas vitórias

Mais uma colecionou.

É um funcionário concursado

E mesmo sem ser Deputado

Tem muito, muito valor

 

O tempo foi passando

E José vai aprendendo

A tantas bênçãos contar

Onze filhos, muitos netos

Tantos bisnetos a contar

Noras, genros e parentes

Cada um tem seu valor

Pra esse grande guerreiro

Nordestino, sim Senhor.

 

Boa lasca de peroba

Oitenta anos completou

Como homem de grande valor

Cada um dos descendentes

Da constelação familiar

É célula infinitesimal

Do grande José Gomes

Pai, amigo fraternal.

13383781_1113692898652654_1445198212_o
José Gomes, Yayá, Zélia Maria, Geraldo, Elba Maria, Gilberto, Maria Nazaré, Ginaldo, Maria do Socorro, José Filho, Antônio, Rivaldo e Luís Manuel

Fotos: Acervo da família (Divulgação)

Artigo anteriorSarau Café em Verso e Prosa apresenta dia (08) “Ela faz cinema”
Próximo artigoPasseios imperdíveis em Natal
Elba Gomes
Nasceu em Pilões, na Paraíba. Graduada em Letras Clássicas e Modernas pela UnB, fez mestrado em Educação. É professora, educadora e especialista em Avaliação da Educação Básica - Prova Brasil – Língua Portuguesa. Começou como professora aos 16 anos de idade. A leitura foi sua vocação primeira. É escritora de livros infantis, com o pseudônimo de Elba GGomes e tem mais de quinze livros publicados. Participa de eventos para o desenvolvimento do processo de leitura e escrita, mediação de leitura e formação de professores na área de avaliação da educação básica. Escreve o blog: www.1blogdeleitura.blogspot.com.br. A escritora estará neste site, toda segunda-feira, escrevendo crônicas (A crônica de todos nós), tecendo comentários sobre livros infantis (De olho nos livros) e escrevendo ou publicando poemas de outros autores (Todo dia tem poesia).