Mau tempo fecha aeroporto e brasileiros ficam presos em Bariloche

0
53
Brasileiros no aeroporto se amontoam aguardando definição (Foto: Bruna Prado Zabini/Arquivo Pessoal) / Divulgação

Passageiros relatam que voos são remarcados e cancelados. Ônibus, oferecidos como alternativas, não conseguem chegar ao local

Está caótico, ninguém informa nada. Os passageiros estão todos jogados. Apenas distribuem barras de cereal, e os funcionários passam fazendo graça e tirando sarro”. O relato é da estudante santista Bruna Prado Zabini, de 21 anos, que está no Aeroporto de Bariloche, na Argentina, e aguarda, sem previsão, para voltar ao Brasil.

Desde o último fim de semana, o aeroporto argentino enfrenta problemas. Uma nevasca suspendeu as operações na sexta-feira (14) e no sábado (15). No domingo (16), os pousos e decolagens foram retomados parcialmente. Na segunda (17), um acidente com um avião fechou as pistas e, nesta terça (18), o tempo piorou novamente.

O voo de Bruna estava marcado, inicialmente, para às 3h, mas foi transferido para às 15h, por conta das condições meteorológicas. “Eu estou aqui hoje, mas tem brasileiro desde sexta-feira. É um desrespeito absurdo. Falam que não conseguiu pousar, pois o tempo estava nublado, mas isso já acontece há dias, e agora o tempo já abriu”, fala.

Bruna e Rodolfo não tem previsão para sair do aeroporto (Foto: Bruna Prado Zabini/Arquivo Pessoal) / Divulgação
Bruna e Rodolfo não tem previsão para sair do aeroporto (Foto: Bruna Prado Zabini/Arquivo Pessoal) / Divulgação

As empresas não informam oficialmente quantos brasileiros estão presos no Aeroporto de Bariloche. “São cerca de 1.600 brasileiros ou mais, pelo o que eu ouvi aqui”, estima a estudante. A alternativa oferecida a ela e a amigos pela companhia Latam era um ônibus com destino a Buenos Aires, de onde um voo partiria para São Paulo.

Os pais da jovem não conseguem chegar ao aeroporto, onde está com o namorado. “A situação está ridícula. O ônibus que eles ofereceram demora 30 horas de viagem em uma estrada perigosa, mas esse ônibus nunca chega aqui. Não temos assistência nenhuma”, critica o também estudante Roldolfo Moraes da Silva, de 24 anos.

“Eles não pagam hotel e fingem que não sabem de nada. Vamos ficar no aeroporto enquanto isso”, fala. Eles passaram oito dias de férias na Argentina e planejavam voltar a Santos, no litoral paulista, ainda nesta terça. O voo inicial, com escala em Buenos Aires, estava marcado para chegar a Guarulhos, em São Paulo, às 20h.

Brasileiros reclamam de falta de informação no balcão (Foto: Bruna Prado Zabini/Arquivo Pess / Divulgação
Brasileiros reclamam de falta de informação no balcão (Foto: Bruna Prado Zabini/Arquivo Pess / Divulgação

Enquanto esperam uma definição, os passageiros se amontoam nos corredores. Rodolfo fala que a companhia começou a remarcar os voos para a próxima sexta-feira (21). “Mas isso nem deve acontecer. A gente não sabe se vai chegar na sexta e remarcar para a próxima semana. Não há previsão nenhuma de ir embora”.

Por meio de nota, a Latam informou que “está fazendo todo o possível para reacomodar os passageiros afetados por cancelamentos e reprogramações” em razão das condições meteorológicas em Bariloche. A companhia pede para que os passageiros chequem as situações dos voos antes de seguirem para o aeroporto.

A empresa diz lamentar os inconvenientes e afirma que está oferecendo alternativas aos passageiros que possuem voos desde sexta-feira até esta terça. A Latam foi questionada, mas não informou sobre o remanejamento de clientes em hotéis daquela região e outras alternativas aos que aguardam o retorno ao país.

Aeroporto foi fechado em razão das condições meteorológicas (Foto: Bruna Prado Zabini/Arquivo Pessoal) / Divulgação
Aeroporto foi fechado em razão das condições meteorológicas (Foto: Bruna Prado Zabini/Arquivo Pessoal) / Divulgação

G1