A sambista pernambucana Karynna Spinelli encerra a programação de homenagens à Semana da Mulher Negra com o espetáculo Samba d’Ouro, neste dia 26 pelo projeto Sabadinho Bom. A apresentação de abertura fica a cargo do pianista Raphael Funchal, que traz um desfile de clássicos do chorinho, com versões de Cartola, Sivuca, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo e Zequinha de Abreu.

O Sabadinho, uma promoção da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da sua Fundação Cultural (Funjope), começa às 11h30, na Praça Rio Branco, no Centro Histórico.

Karynna, uma das mais promissoras representantes do samba autoral brasileiro, lança no dia 31 de agosto o seu segundo disco, “Negona”, um apaixonado casamento com a sua raiz negra declarado em 12 canções, das quais nove composições próprias. Na apresentação do próximo sábado (26), além das obras do primeiro disco, “Morro de Samba”, e de “Negona”, ela expressa a sua devoção pela cultura afro cantando em língua iorubá.

A última passagem da sambista por João Pessoa foi num show em 2011. As referências do seu som estão explícitas em Clara Nunes, mas também sugadas da convivência com a cultura popular das comunidades de Recife. “Depois de ‘Negona’, vamos partir em turnê pelo Nordeste e daí passear pelo Brasil. Este ano também promete com o lançamento do meu primeiro DVD”, afirma ansiosa a sambista.

Trajetória musical – Spinelli começou a sua carreira em 2004, após conhecer o samba de terreiro e de roda no Morro da Conceição. Desde então, dedica-se também à música de raiz. Karynna preside o Clube do Samba de Recife, um importante reduto de frequentadores e artistas da Velha e Nova Guarda, que dialogam com outras vertentes musicais.