Estão abertas as inscrições para mostra A América por John Ford, realizada pelo Sesc Paraíba, por meio do projeto CineSesc. A mostra acontece no período de 22 a 30 de setembro, nos horários das 16 e 19 horas. Ainda inserida na programação do evento, no turno da noite, os participantes terão a oportunidade de desfrutar da Roda de Conversa, momento dirigido por Audaci Junior e Renato Félix, que visa mobilizar o público cinéfilo e os críticos especializados. A entrada é gratuita e aberta a quaisquer interessados.

A América por John Ford é uma iniciativa que tem como objetivo a propagação da arte de John Ford. O trabalho de John Ford no cinema merece tratamento de gênio devido à clareza de opiniões sobre o homem, a história e a sociedade norte-americana. Ford, jamais intencionou manter uma postura socialmente crítica, mas sempre foi profundamente dedicado à humanidade das pessoas independentemente de sua posição social, desde que a posição desses personagens ratificasse a ética valorativa dos pioneiros, daqueles que enfrentaram as adversidades para construir uma nova ordem social.

Composta por sete obras, a mostra apresenta-o como um diretor de filmes que aborda temáticas diversas, mas alicerçadas na história norte-americana. Médico e amante (1931) é um bom exemplo de um típico drama; Vinhas da Ira (1940) traz o drama social; O Prisioneiro da Ilha dos Tubarões (1936), uma aventura dramática, Juiz Priest (1934), comédia de costumes; e A Mocidade de Licoln (1940), um drama político. O faroeste completa a mostra com dois clássicos indubitáveis: No Tempo das Diligências (1939) e Rastros de ódio (1956).

Mais informações podem ser obtidas no Setor de Cultura do Sesc Centro João Pessoa pelos números (83) 32083158 / 99960183. A unidade está localizada na Rua Desembargador Souto Maior, 281, Centro da capital.

Programação

22/09 – Filme: O Médico e o Amante
Duração: 98 min.
Sinopse: Um médico é enviado para investigar um surto de peste em Dakota do Sul nos EUA, tendo que decidir as prioridades para o uso de uma vacina rara. Neste período ele se apaixona por uma rica dama interpretada por Helen Hayes. Filme sensível e emocionante de John Ford, indicado a Melhor Direção de Arte no Oscar de 1931 e adaptado da novela do escritor e vencedor do Nobel de Literatura, Sinclair Lewis.

23/09 – Filme: Juiz Priest
Duração: 80 min.
Sinopse: Este filme cheio de talento e graça é uma bela visão sobre vida, onde o grande mestre Ford já manifesta toda sua genialidade. A sequência inicial é agradável: o promotor – um sujeito rico, despótico – tenta condenar um negro que teria roubado galinhas. O negro diz ao Juiz Priest que não roubou, que naquela hora estava pescando, e o juiz pergunta o que estava pescando e com que tipo de isca. Dali a pouco, estão indo os dois, juiz e ex-réu, pescar. Para Ford, neste filme, rico é imbecil e pobre é bom. Chega a ser maniqueísta, e ele dá diversos exemplos disso no desenrolar da trama. No final, há uma exaltação ao Sul vencido, contra o Norte vencedor da Guerra da Secessão; Ford toma o partido dos derrotados, sem qualquer vergonha. O próprio Ford realizou o seu remake em 1953, com o título The Sun Shines Bright/ O Sol Brilha na Imensidão. Uma pérola rara na sua filmografia.

24/09 – Filme: O Prisioneiro da Ilha dos Tubarões
Duração: 96 min.
Sinopse: A história do Dr. Samuel Mudd, o médico que foi preso, acusado de conspiração, apenas por haver tratado do assassino do Presidente Lincoln. Em 1865, poucas horas depois do assassinato do Presidente Lincoln, o doutor Mudd ajuda John Wilkes, um pobre homem que se apresenta com a perna quebrada. Porém, John Wilkes é o assassino que quebrou a perna enquanto fugia após o crime. Preso e acusado de cumplicidade, o doutor Mudd é condenado à prisão perpétua na terrível Prisão de Shark Island, onde sofreria maus tratos e o ódio dos guardas, especialmente do sádico sargento Rankin. Filme de grande valor histórico, pois o mestre John Ford, guiou-se pelos fatos históricos. Obra-prima inédita no mercado da América Latina, e muito pouco divulgada nos EUA, por motivos políticos até hoje. Indispensável aos que gostam de história, arte e bom cinema.

25/09 – Filme: A Mocidade de Lincoln
Duração: 100 min.
Sinopse: O primeiro caso no tribunal de Abraham Lincoln onde precisa defender dois irmãos que são acusados de terem linchado um homem. Dirigido por John Ford e com Henry Fonda e Alice Brady no elenco. Recebeu uma indicação ao Oscar. Nova Salem, lllionis, 1832. Uma família que está viajando em uma carroça necessita de mantimentos da loja de Abraham Lincoln e a única coisa de valor que eles têm para trocar é um livro sobre Direito. Abraham fala sobre suas ambições com Ann, uma jovem mulher que logo morre. Ele se muda para Springfield, a nova capital do estado, e em 1937, juntamente com o amigo John T. Stuart, abre um escritório de advocacia. Lincoln conhece Mary Todd, uma mulher do Kentucky que, ao contrário de Lincoln, era rica. É focado o primeiro caso de Lincoln, no qual primeiramente impede que Matt Clay e Adam Clay sejam linchados por terem assassinado Scrub White. Ambos os irmãos se declaram culpados, como se um protegesse o outro. Abigail Clay, a única pessoa que poderia testemunhar, é a mãe dos acusados e se recusa a dizer algo, pois o testemunho dela salvaria um dos filhos, mas automaticamente condenaria o outro à forca.

26/09 – Filme: No Tempo das Diligências
Duração: 97 min.
Sinopse: Sob a sombra do célebre Monument Valley um Utah, o diretor Jhon Ford e o astro John Wayne fizeram um dos maiores clássicos do Western americano. Atravessando o Arizona numa diligência, um grupo se envolve em diversas lutas e aventuras, inclusive enfrentando índios guerreiros. Além da indicação para o Oscar de melhor filme, Stagecoach, recebeu os oscares de melhor ator (para Thomas Mitchell) e trilha sonora.
.

29/09 – Filme: Vinhas da Ira
Duração: 129 min.
Sinopse: Oklahoma, na época da Depressão. O filho mais velho de uma família de trabalhadores rurais pobres retorna casa, após cumprir pena por homicídio involuntário. Ele planeja levar em um pequeno caminhão a família até a Califórnia, onde se diz que trabalho lá não falta. Durante a viagem eles passam por diversos tipos de provações e quando chegam na Terra Prometida, e descobrem que o lugar é bem pior do que tinham deixado. O melhor filme de Jonh Ford. Aqui ele retrata de forma realista e corajosa, o drama vivido pelos pequenos agricultores vítimas da ganância dos bancos durante a depressão nos EUA. John Ford sempre dizia ser um cineasta que fazia westerns, mas o seu melhor filme, Vinhas da Ira, sem dúvida sua melhor obra prima. Indispensável.

30/09 – Filme: O Homem que Matou o Facínora
Duração: 119 min.
Sessões: 16h às 19h
Sinopse: Em 1910, o Senador Ransom Stoddard e sua esposa Hallie chegam numa pequena cidade para o funeral de Tom Doniphon (JWayne). Entrevistado por um repórter, Stoddard conta a história de quando era advogado na cidade e desejava deter o terrível pistoleiro Liberty Valance por meio da lei. Doniphon, um respeitado caubói, insistia na validade da lei do revólver. Além das diferenças de estilo, Doniphon e Stoddard compartilhavam o interesse pela mesma mulher ( Hallie, na época uma garçonete da saloon), além da mesma vontade de acabar com a tirania. Obra prima absoluta.

Foto: Reprodução

Sesc PB