O Private Reserve é considerado o maior bangalô sobre a água do mundo; hotel tem outras 44 acomodações desse tipo (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)

Estabelecimento teve melhor avaliação de turistas no TripAdvisor no ano.
Veja os luxos que o hotel oferece a hóspedes em ilha privada nas Maldivas.

 

“Deixe suas preocupações em casa”. A filosofia do hotel Gili Lankanfushi parece não ser difícil de cumprir, a julgar pela vida de luxo que o local oferece aos hóspedes.

O quarto de um dos bangalôs (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
O quarto de um dos bangalôs
(Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)

Localizado em uma ilha privada nas Maldivas, o estabelecimento foi eleito o melhor hotel do mundo em uma premiação anual do site de viagens TripAdvisor.

A premiação se baseia na quantidade e na qualidade das avaliações que milhões de hóspedes deixaram no site ao longo de 2014.

Todas as acomodações do hotel são bangalôs típicos que adentram pelo mar cristalino da região. São 45 no total, alguns deles mais básicos e outros de superluxo, como o “spa suite” e o “Crusoe Residence”.

‘Palácio privado’

Rede em frente à praia do hotel (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
Rede em frente à praia do hotel (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)

Com 1.400 metros quadrados, o mais luxuoso deles, chamado Private Reserve, é considerado o maior bangalô sobre a água do mundo.

Bar flutuante (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
Bar flutuante (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)

Descrita como um “palácio privado”, a acomodação tem duas suítes máster e mais uma para hóspedes, dois banheiros de 100 metros quadrados, cozinha, spa privado, sala de ginástica e cinema, além de jardim, deques para tomar sol, varandas e pavilhões para jantar ao ar livre.

Também há uma sala de trabalho e Wi-Fi, “se você realmente precisar”, ressalta o hotel.

Cada suíte tem janelas do chão até o teto e acesso a uma “banheira natural” dentro de um “jardim de corais” no mar. As varandas têm “camas diurnas” e os banheiros, chuveiro ao ar livre.

Mordomo e toboágua

Funcionárias andam até o spa do hotel Gili Lankanfushi (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
Funcionárias andam até o spa do hotel Gili Lankanfushi (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)

Do deque superior, um toboágua desce até uma lagoa privada de água salgada. Um casal de mordomos fica à disposição dos hóspedes 24 horas por dia e podem até dormir em uma acomodação dentro do bangalô, caso a pessoa prefira. Escolhem a seleção de vinhos da adega, entre 400 rótulos.

A saída e a chegada ao bangalô são em um iate de luxo e há transfer particular de barco para o dia a dia.

As atividades para os hóspedes incluem mergulho com instrutores para admirar a vida marinha do Oceano Índico, windsurfe nas lagoas de água salgada em volta da ilha ou yoga na praia.

Para o mês de fevereiro, a diária na acomodação Private Reserva sai por cerca de US$ 10 mil (em torno de R$ 25,8 mil). Já em um bangalô mais simples a noite sai por cerca de US$ 1.500 (R$ 3,8 mil), segundo simulação feita nesta sexta-feira (23).

Casal no deque de um dos bangalôs (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
Casal no deque de um dos bangalôs (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
Terraço de um dos bangalôs do hotel (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
Terraço de um dos bangalôs do hotel (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
angalôs dão acesso a 'jardim de corais' (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)
angalôs dão acesso a ‘jardim de corais’ (Foto: Gili Lankanfushi/Divulgação)

 

 

Fonte: G1
Fotos: Gili Lankanfushi/Divulgação