A Azul foi uma das companhias que manifestaram junto ao Governo de Portugal interesse na privatização da Tap. A informação foi confirmada pelo ministro da Economia, António Pires de Lima, durante o Fórum Econômico Mundial. Na ocasião, o ministro também desmentiu que tenham existido quaisquer contatos por parte da Gol.

Pires de Lima acredita que a Azul poderia facilmente contornar as limitações legais no quadro da União Europeia, que impedem empresas estrangeiras de deter mais de 49% do capital de uma companhia aérea portuguesa. Segundo ele, a companhia brasileira poderá encontrar um acionista europeu para integrar o consórcio que avance para a compra da Tap.

O caderno de encargos para a privatização da Tap foi aprovado na semana passada, confirmando a venda de até 66% do capital da companhia aérea, com uma posição de até 5% reservada aos trabalhadores. O Governo pretende concluir o processo até ao final do primeiro semestre do ano.

M&E