Chineses, americanos e ingleses estão entre os turistas que mais gastam. Ecoturismo é uma tendência e o Brasil pretende atrair ainda mais turistas franceses e americanos

O plano estratégico da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) para reforçar sua inteligência comercial nos mercados internacionais foi tema de uma palestra ministrada na última sexta-feira (17) em Foz do Iguaçu (PR), um dos principais destinos turísticos do País. A apresentação foi parte da programação do Festival de Turismo das Cataratas, evento que visa fomentar a geração de negócios no campo do turismo.

O Coordenador-Geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica da Embratur, Bruno Giovanni Reis, destacou a importância da iniciativa para a difusão da estratégia de inteligência da entidade. O turismólogo apresentou os últimos dados e tendências recolhidos pelos Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs) e compartilhou a mecânica e as ferramentas utilizadas pelos profissionais do setor na promoção do Brasil como destino turístico. A apresentação realçou ainda os perfis dos estrangeiros que visitam o País e o impacto da entrada de divisas na economia nacional.

“Queremos divulgar o turismo brasileiro lá fora com mais inteligência e eficácia e o resultado dessa integração é o aumento do fluxo de visitantes para o Brasil. Esta palestra é mais uma ferramenta da Embratur para capacitar agentes e operadores de viagens, além dos expositores das feiras. O nosso intuito é apresentar possibilidades para auxiliá-los, em um mercado dinâmico, a entender o seu funcionamento, além de orientá-los nas tomadas de decisão”, completou o coordenador do Instituto, destacando a importância da FIT Cataratas para reforçar o turismo intrarregional na América do Sul.

No encontro, a Embratur apresentou o seu planejamento estratégico, que passa pela coleta de dados realizada pelos seus 13 executivos em 20 países, seguida de análise do conteúdo e definição da estratégia de promoção do destino Brasil, bem como os mecanismos de comercialização dos destinos. Foram igualmente divulgadas as tendências e oportunidades em termos de turismo. Como exemplo, destaca-se a aposta no Ecoturismo para os mercados da França e dos EUA.

Depois de acompanhar a palestra, o representante da Secretaria do Turismo e do Esporte de Sergipe, José Castilho, elogiou a iniciativa como sendo muito importante para um estado com dificuldades de captação internacional: “Com a capacitação, aprendemos a realizar uma melhor abordagem com público final. Por meio dos operadores e agentes de viagens, encontramos mais possibilidades de promover o nosso estado ao turista internacional”.

Cenário internacional

Segundo os dados apresentados, os chineses são os turistas que mais gastam em viagens ao Brasil. Os viajantes vindos da China gastam, em média, 182 dólares por dia em viagens de negócios e 93 dólares diários quando vêm a lazer. Os dados acompanham a tendência divulgada pela Organização Mundial do Turismo, que aponta a China como país recordista em gastos com turismo no mundo, movimentando 292 bilhões de dólares, 25% a mais que o valor registrado no período anterior.

Os Estados Unidos aparecem em segundo lugar, com 120 bilhões de dólares. No Brasil, quando se trata de lazer, ninguém gasta mais que os americanos: são 125 dólares diários por turista, em média. Segundo o Anuário Estatístico do Ministério do Turismo, 575 mil americanos vieram ao Brasil em 2015, buscando principalmente roteiros de praia, ecoturismo e cultura. O Reino Unido também se destaca no valor gasto com turismo de lazer no Brasil, com uma média diária de 106 dólares por viajante.

O estudo da Embratur faz um aprofundamento nas estatísticas, com dados como faixa etária, gênero e perfil dos turistas. O esforço faz parte da estratégia de inteligência para promover o turismo no Brasil. Entre os produtos disponíveis para o trade estão o Boletim de Inteligência Competitiva, o Diagnóstico dos Produtos Turísticos e o Perfil de Mercado.

Escritórios brasileiros de Turismo

Os Escritórios brasileiros de Turismo (EBTs) promovem o Brasil como destino turístico internacional, desenvolvendo o relacionamento com empresas de turismo nos principais mercados de interesse da Embratur. As atividades visam a diversificação dos produtos turísticos brasileiros e o reforço das capacidades dos agentes de viagem locais, a fim de gerar uma imagem positiva em cada mercado. Ao trabalhar em estreita colaboração com os agentes do turismo, os escritórios internacionais apoiam a posição do Brasil como destino turístico global crescente. Por meio de reuniões, ações de cooperação e de mapeamento de dados, juntamente com a equipe da Embratur em Brasília, geram estratégias e desenvolvem a inteligência comercial, garantindo a excelência na promoção do turismo brasileiro.

Embratur