A iniciativa do Governo do Estado em iniciar a distribuição de mudas de palma forrageira resistente à Cochonilha do Carmim, há dois anos, ganhou um forte aliado que está contribuindo com a produção de sementes para que cheguem aos agricultores familiares da região do Cariri. No município de São João do Cariri, o Instituto Nacional do Semiárido (Insa), em parceria com a Emater Paraíba, implantou um campo experimental visando revitalizar a cultura.

14.05.14-programa_producao_palma_forrageira-3

O campo experimental de produção de mudas fica na propriedade Poço das Pedras, do agricultor Eugênio Souza, e na semana passada ocorreu a primeira ação concreta deste projeto com a distribuição de 90 mil raquetes de três variedades de palma, contemplando 300 agricultores familiares de todo o município. Com isso, em breve, a produção de ração para os animais deve ser garantida em período de prolongada estiagem, tendo em vista que a palma se constitui numa das principais fontes de alimentação animal nessa fase do ano.

Em São João do Cariri, segundo dados do IBGE, existe um plantel de 4.957 animais bovinos, mais 15.102 caprinos e 17.015 ovinos. Com as 90 mil raquetes produzidas e distribuídas, foram atendidas 32 comunidades rurais, 16 associações comunitárias e associações de criadores de caprinos, ovinos e bovinos no município.

14.05.14-programa_producao_palma_forrageira-4

O presidente da Emater Paraíba, Geovanni Medeiros Costa destacou a importância da parceria na execução deste projeto que veio se juntar à iniciativa do Governo do Estado em produzir palma forrageira resistente à Cochonilha do Carmim. A ação de implantar este campo experimental foi do Insa, que conduziu todo o processo de produção das mudas.

Também são parceiros a UFPB – Campus de Areia, a Prefeitura de São João do Cariri e a Secretaria de Agricultura do município. Esta ação contou também com o apoio do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), das associações rurais e de criadores locais.

O escritório local da Emater Paraíba vem contribuindo com este projeto desde o seu início, com a escolha da propriedade para instalação do campo e assistência técnica ao produtor, através dos técnicos Romero Callou, Getúlio José do Amaral e toda sua equipe de trabalho, e o acompanhamento do coordenador regional Antônio Alberto.