A camaronesa Léonora Miano, que apresenta hoje, às 20h, no Auditório da Central de Aulas da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), o romance vencedor do Prix Femina 2013, La Saison de l’Ombre. O evento é organizado pela Aliança Francesa e tem entrada gratuita.

“Acho que já era tempo”, diz Léonora, questionada sobre o mesmo assunto abordado por Ondjaki em entrevista. “O Brasil é o país que tem o maior número de negros depois da Nigéria, o gigante africano. Muitos afrodescendentes no Brasil têm raízes na Nigéria ou nesta região. Temos autores maravilhosos na África, muitos deles já publicados aqui, o que é uma grande oportunidade. É melhor assim.”

Mais recente romance de Miano, La Saison de l’Ombre (‘A Estação da Sombra’, em tradução livre) está sendo traduzido para o português e, segundo a própria autora, sairá em breve no Brasil.

“Eu já tenho um livro publicado aqui, Contornos do Dia que Vem Vindo, editado pela Pallas”, revela a escritora que está radicada na Europa há mais de 20 anos. “Foi publicado em 2009 na França, onde ganhou o Goncourt des Lycéens, prêmio atribuído pelos estudantes que estão concluindo o Ensino Médio. Eu estou trazendo alguns exemplares.”

Primeira mulher de origem africana a ganhar o famoso prêmio da revista Femina, Miano passou pela Bahia e por Pernambuco antes de chegar à Paraíba. “Estou aqui no Brasil neste mês de novembro e nesta Semana da Consciência Negra, apesar de uma agenda muito cheia, justamente porque acho importante, neste momento, apresentar La saison de l´Ombre, visto que ele trata de um aspecto pouco conhecido: o comércio transatlântico de escravos”, declara a camaronesa, que estará na companhia de uma intérprete.

Jornal da Paraíba

Imagem: Divulgação