A 32ª Semana Cultural José Lins do Rego, que destaca a vida e obra do escritor paraibano homenageado com atividades de variados segmentos artísticos, chega ao fim nas cidades de Pilar e Itabaiana. Foram quatro dias de programação com atividades de literatura, teatro, música, cinema, artes visuais, dança e cultura popular. O evento educativo trabalhou especialmente com um público formado por crianças e adolescentes das cidades da região.

Odete de Pilar
Odete de Pilar

No último dia de Semana Cultural, houve o encerramento das oficinas. Na cidade de Pilar, o público conferiu a peça infantil “Faz de Conta”, do Grupo Graxa de Teatro. A manifestação popular cavalo marinho foi apresentada em praça pública pelo grupo do mestre João do Boi, de João Pessoa e à noite, o evento foi encerrado com a ciranda de Odete de Pilar e show de Evoé!.

A Semana Cultural José Lins do Rego, realizada pelo Governo do Estado por meio da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), contou com apoio da prefeitura de Pilar e Itabaiana, da Fundação Museu José Lins do Rego (Pilar), e do ponto de cultura Cantiga de Ninar (Itabaiana).

Evoé
Evoé

Oficina – O terceiro dia de atividades em Pilar começou com a finalização das oficinas. Como resultado das aulas, os alunos da oficina de criação artística produziram peças de arte com garrafas pet. Na oficina de cinema, um vídeo foi produzido e gravado pelos integrantes. Com o tema da vida e obra do escritor nascido em Pilar, os integrantes da oficina de graffiti aplicaram as técnicas aprendidas na área externa das paredes do ginásio José Lins do Rego.

As lendas da cidade também foram contadas através da encenação montada pelos participantes da oficina de teatro. As lendas do Lobisomem de Pilar e da Cobra da Rua da Lagoa foram encenadas de maneira bem humorada pelos jovens. “Fazer um trabalho com teatro era meu sonho. Eu nunca havia participado de uma oficina e adorei. Pena que acabou”, declarou Josélia Neri, estudante de geografia, participante da oficina.

Espetáculo Faz de Conta
Espetáculo Faz de Conta

Os pilarenses ainda tiveram contato com o universo dos quadrinhos através da oficina ministrada pelo quadrinista Janúncio Neto. Durante os quatro dias, cerca de 150 pessoas foram atendidas nas oficinas de Pilar e Itabaiana.

O fim de tarde em Pilar foi colorido pelas fantasias, alegria e tradição do Cavalo Marinho do mestre João do Boi, de João Pessoa. A manifestação de cultura popular apresentou loas e danças que são passadas de geração em geração aos integrantes do grupo pessoense.

Oficina de Graffit
Oficina de Graffit

O Balé Popular da UFPB teve participação na noite de encerramento, apresentando o espetáculo “Loas e Luas”, no ginásio de esportes José Lins do Rego. Em seguida, cirandas e cantigas foram entoadas com sotaque pilarense. Com anos de estrada, nascida na zona rural da região, Odete de Pilar não poupou energia para representar cirandas e cocos de roda que canta desde os dez anos de idade. A arte da mulher de 44 anos foi herdada do pai. A paixão de Odete fez com que ela nunca parasse de cantar, mesmo tendo que trabalhar na roça para manter os 27 filhos. “Eu amo cantar e vou sempre que me chamam. Meus filhos têm vergonha e não participam comigo, mas eu não tenho vergonha de levar a cultura”, contou Odete.

Ainda na noite de quarta-feira, quem fechou o evento com muito samba e poesia foi o grupo Evoé!, que faz parte do cenário independente de João Pessoa e se expressa através de uma musicalidade que recebe influências diretas dos movimentos estéticos e contraculturais das décadas de 60 e 70, sobretudo com base na música nordestina.

Foi nesse ritmo de poesia que a 32ª Semana Cultural José Lins do Rego foi encerrada. Foram quatro dias de intensa atividade cultural em Itabaiana e Pilar, com ações que beneficiaram, principalmente, crianças e adolescentes da região. “Foi muito bom receber a Semana Cultural. Além de ter sido uma novidade pra cidade, os nossos estudantes se envolveram com as atividades, o que nos orgulha bastante”, disse a secretária de Educação de Pilar, Marcilene Sales.