As centenas de milhares de turistas que passaram pelo Brasil durante a Copa do Mundo deixaram sua contribuição para a economia  do país. Segundo estimativa do Ministério do Turismo, o evento injetou R$ 30 bilhões na economia. O valor corresponde a 0,7% de tudo o que foi produzido no país em 2013.

A estimativa do Ministério do Turismo foi feita com base em estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) sobre a Copa das Confederações.

Segundo a pesquisa, o torneio, realizado em 2013, gerou um movimento de R$ 20,7 bilhões, sendo R$ 11 bilhões referentes a gastos de turistas, do Comitê Organizador Local e de investimentos privados e públicos e outros R$ 9,7 bilhões como renda acrescentada ao Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma dos bens e serviços produzidos no Brasil. O Ministério já estimava, então, que a Copa do Mundo deveria gerar renda três vezes maior que esse valor, ou quase R$ 30 bilhões.

O estudo realizado sobre a Copa das Confederações avaliou os impactos iniciais, diretos, indiretos e induzidos na economia. Como base para o cálculo, utilizou-se a soma dos investimentos públicos e privados em infraestrutura (R$ 9,1 bilhões), dos gastos dos turistas nacionais (R$ 346 milhões) e estrangeiros (R$ 102 milhões) e dos investimentos do Comitê Organizador Local (COL) no evento (R$ 311 milhões). Desses valores, obteve-se o efeito multiplicador na cadeia produtiva.

G1