Conheça Airbnb dos milionários

0
194
Casa do apresentador de TV Anderson Cooper em Trancoso, que faz parte do hotel boutique UXUA Casa Hotel & Spa” (Foto: Divulgação)

A economia compartilhada é um mantra contemporâneo. No Brasil e lá fora, cresce a participação dos donos de fortunas no mercado de aluguel de casas – tanto entre os que oferecem os imóveis quanto os que os ocupam por breves temporadas

A dama da moda, Coco Chanel, decretou: o luxo tem que ser confortável – ou não é luxo. Os hotéis cinco estrelas sempre se esmeraram em levar essa máxima ao pé da letra e, por muito tempo, entregaram o que Chanel ditava como regra. Recentemente, porém, ganharam uma concorrência não necessariamente estrelada, mas igualmente exclusiva. A disposição de donos de mansões no Brasil e no mundo para aderir à economia compartilhada tem impulsionado um novo tipo de turismo, ainda mais sofisticado – e o aluguel de residências de altíssimo padrão está no centro desse novo nicho.

Casa do casal Georgina e Ruy Brandolini d’Adda, em Trancoso (Foto: Divulgação)
Casa do casal Georgina e Ruy Brandolini d’Adda, em Trancoso (Foto: Divulgação)
Mansão no Rio de Janeiro, que recebeu Rihanna e Justin Bieber (Foto: Divulgação)
Mansão no Rio de Janeiro, que recebeu Rihanna e Justin Bieber (Foto: Divulgação)

O pacote inclui, além das amenities antes vistas somente na rede hoteleira, um exército de funcionários, chefs de cozinha, concierge e curadoria de passeios e algo difícil de ser replicado em série: o bom gosto e o estilo de vida do proprietário.  “A experiência de vivenciar o jeito e as ideias dos donos ao passar uma temporada em suas mansões é uma das principais razões para o crescimento desse tipo de aluguel”, diz Flavio Sarahyba, fundador da Mahnai, agência especializada em hospedagem residencial de luxo. A privacidade é outro motivo dos atrativos.

Destino hypado há décadas e alvo de celebridades que buscam refúgio, Trancoso, no litoral sul baiano, é um dos polos brasileiros desse novo mercado de hospedagem. Os casarões rústicos-descolados ganharam, nos últimos anos, hóspedes internacionais, como o ator Will Smith, a cantora Beyoncé e as top models Kate Moss e Naomi Campbell. No fim do ano passado, causou alvoroço a notícia de que o ganhador do Oscar de melhor ator, Leonardo DiCaprio, passaria o réveillon no antigo vilarejo hippie.

Casa de Flavio Marelim, em Trancoso, alugada pelo ator Will Smith (Foto: Divulgação)
Casa de Flavio Marelim, em Trancoso, alugada pelo ator Will Smith (Foto: Divulgação)

Muita gente tentou flagrar o astro – correu até o rumor de que um sósia flanava pelas praias baianas. O lado de lá do balcão, o dos proprietários, é igualmente estrelado: Anderson Cooper, jornalista e apresentador da rede CNN, a condessa Georgina e o conde Ruy Brandolini d’Adda, o casal americano Bob e Cortney Novogratz e a condessa italiana Sabine Lovatelli, entre outros, estão colocando suas casas à disposição para breves temporadas.

Queridinhos no mercado de luxo e estrelas de um reality show de decoração, os Novogratz estão na relação de abastados que poderiam dispensar o aluguel para manter a propriedade. “Nós vamos para Trancoso só duas vezes por ano e, nas outras 50 semanas, o local fica vazio. Uma casa precisa de vida”, diz Bob. Construída em madeira, a mansão de 850 m2 chama a atenção pela exuberância sem excessos. São cinco suítes, uma delas instalada em uma árvore, inúmeras salas de descanso e uma de jantar com vista para o mar. O aluguel inclui café da manhã, serviços de limpeza e traslado para o aeroporto de Porto Seguro. As diárias vão de R$ 4.550 a R$ 14 mil, no ano-novo.

Casa do arquiteto Karim Akl, em São Paulo (Foto: Divulgação)
Casa do arquiteto Karim Akl, em São Paulo (Foto: Divulgação)
Propriedade de Icaro Fernandes, em Paraty (Foto: Divulgação)
Propriedade de Icaro Fernandes, em Paraty (Foto: Divulgação)
Casa do casal Bob e Cortney Novogratz, em Trancoso (Foto: Divulgação)
Casa do casal Bob e Cortney Novogratz, em Trancoso (Foto: Divulgação)

Abrir a casa para terceiros começou a ser praxe entre os milionários gringos no início desta década, mas, no Brasil, é um movimento recente. Por aqui, ainda é incomum locar um “cantinho” construído com a “minha cara” – seja o hóspede uma celebridade internacional ou não. Isso tem mudado aos poucos. “O aluguel serve até para aliviar a consciência pesada de quem não usa a casa com frequência”, diz Martin Frankenberg, fundador da empresa de viagens Matueté, que tem como sócia a esposa de Jorge Paulo Lemann, a empresária Susanna Lemann.  Não é o caso do arquiteto Karim Akl. Ele passou a ofertar a casa onde mora para interessados em “experimentar um oásis paulistano com charme francês”, como ele se refere a seu imóvel de 240 m2, nos Jardins. “Pensei na casa como se fosse um mini-hotel boutique, bem confortável, com móveis estilo Luís 15 em composição com peças modernas, portas em arcos, um jardim provence e uma cozinha com equipamentos da KitchenAid.” O pernoite sai por R$ 1 mil. A estadia mínima é de 15 dias.

Exigências na decoração e na localização não é tudo o que entra no checklist da clientela. “Tem gente que me pede passeios de Ferrari ou Lamborghini, helicóptero, festas em barco, jantares com cardápios elaborados por chefs e entradas para os eventos mais concorridos da cidade”, conta o brasileiro Bruno Benevides, dono da agência Dolce Vacation, que opera apenas em Miami.  Julia Lemos, fundadora da Uma Stays, também especializada nesse tipo de aluguel, lembra a exigência muito peculiar de um sheik árabe que se hospedou em Trancoso: ele mandou construir uma cozinha industrial na casa que escolheu. Detalhe: a cozinha ficava embaixo da piscina. “Eles não queriam ouvir barulho de gente trabalhando”, relata.

O crescimento dos aluguéis de casas de luxo não significa que a indústria hoteleira esteja cega para esse nicho. Pelo contrário. A rede Fasano, por exemplo, está perto de inaugurar uma unidade em Angra dos Reis no próximo semestre, o resort Frade. O terreno, ladeado por Mata Atlântica, tem 17 km2, área maior que a do município de São Caetano do Sul, no ABC Paulista. O hotel contará com 54 quartos de até 90 m2, com vista para o mar, e terá ainda marina, campo de golfe com 18 buracos, centro de compras e restaurantes. Também serão construídas casas que terão de 160 a 600 m2, a exemplo do que há na Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz, no interior de São Paulo, que pertence ao grupo. O próprio Airbnb, que ganhou terreno intermediando o aluguel de casas e apartamentos, fez uma manobra indicando que também vai disputar a fatia de luxo.

Em fevereiro deste ano, a empresa comprou a Luxury Retreats, que tem em seu portfólio uma casa de campo do cineasta Francis Ford Coppola, em Puglia (Itália), e uma propriedade do britânico Richard Branson, dono do Virgin Group, nas Ilhas Virgens Britânicas.
Um levantamento do banco Credit Suisse dá motivos para os players do mercado de locação de imóveis brasileiros de altíssimo padrão esfregarem as mãos. O Brasil tem hoje 172 mil milionários, e a expectativa é de que o número salte a 229 mil nos próximos quatro anos. Para dar conta da demanda crescente, os agentes cumprem dupla jornada. De um lado, garantem que o hóspede seja paparicado (pagando por isso, claro) durante a estadia.

De outro, fazem um filtro rigorosíssimo para os proprietários. Na black list, quem mais aparece são turmas grandes de jovens solteiros. “Há clientes que preferem não arriscar. Ninguém quer uma festa arrasa-quarteirão em casa”, diz Flavio Sarahyba. “Na Olimpíada, o locatário de uma mansão no Rio recusou um figurão russo muito endinheirado. O hóspede exigiu muita estrutura de segurança, e o proprietário achou que acabaria incomodando a vizinhança.”

Em sua última passagem pelo Brasil, em março, o cantor Justin Bieber voltou a se hospedar em uma casa no Joá, na zona oeste do Rio, onde ele havia ficado em 2013. Uma série de boatos marcou a estadia no imóvel que já pertenceu à família Monteiro de Carvalho, ao bilionário Nathaniel Rothschild e que hoje está nas mãos de uma empresa norte-americana. A fama de baladeiro do astro pop fez circular a informação de que o proprietário havia desistido da ideia de receber o inquilino canadense. Não teve nada disso: a GQ confirmou sua passagem pelo imóvel.

Claro que esse mercado não se faz só de celebridades. A coach mineira Bruna Araújo, de 28 anos, negocia, pela primeira vez, a estadia em uma casa de alto padrão. Trancoso será seu destino. Ela diz que exclusividade nos serviços e segurança a fizeram abrir mão de uma hospedagem tradicional. “É uma viagem sensorial”, afirma. “Os detalhes podem inspirar. Uma maçaneta diferente, por exemplo, te faz pensar em como ela funcionaria na sua casa.” A mineira optou pela exclusividade a despeito do custo mais alto que em um hotel. “Em uma casa, eu sou a hóspede, e não mais uma.”

OS INQUILINOS

Rihanna Local: Rio de Janeiro Diária: US$ 3 mil dono da casa: uma empresa americana; já foi do bilionário Nathaniel Rothschild  (Foto: Divulgação)
Rihanna Local: Rio de Janeiro Diária: US$ 3 mil dono da casa: uma empresa americana; já foi do bilionário Nathaniel Rothschild (Foto: Divulgação)
Will Smith - Local: Trancoso Diária: R$ 10 mil dono da casa: Flavio Marelim, empresário e designer (Foto: Divulgação)
Will Smith – Local: Trancoso Diária: R$ 10 mil dono da casa: Flavio Marelim, empresário e designer (Foto: Divulgação)
Byoncê - Local: Trancoso Diária: R$ 6.300 donos da casa: condessa Georgina e conde Ruy Brandolini d’Adda (Photo by Christopher Polk/Getty Images for NARAS) (Foto: Getty Images for NARAS)
Byoncê – Local: Trancoso Diária: R$ 6.300 donos da casa: condessa Georgina e conde Ruy Brandolini d’Adda (Photo by Christopher Polk/Getty Images for NARAS) (Foto: Getty Images for NARAS)

OS PROPRIETÁRIOS

Anderson Cooper - Local: Trancoso Diária: R$ 5.650 Quem se hospedou: não revelado (Foto: Divulgação)
Anderson Cooper – Local: Trancoso Diária: R$ 5.650 Quem se hospedou: não revelado (Foto: Divulgação)

GQ