Cerca de 12,7% dos gastos dos turistas brasileiros em viagens pelo país são com compras pessoais, o que gera emprego e renda para os municípios

Os viajantes brasileiros reservam uma parcela significativa do orçamento da viagem para as compras, de acordo com uma pesquisa do Ministério do Turismo, realizada em 2012. A aquisição de produtos no destino turístico consome 12,7% dos gastos reservados ao passeio, segundo o estudo, o que corresponde, em média, a R$ 156,54. De acordo com o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco Lopes, esse gasto é significativamente maior quando o objetivo principal da viagem é a compra.

O país possui uma série de destinos turísticos em que o consumo de produtos divide espaço com os atrativos de beleza natural, a cultura e a gastronomia da região. São Paulo é um deles, devido à variedade de produtos. A cidade atende desde quem procura o consumo sofisticado de endereços como a Rua Oscar Freire, na região central da cidade, até quem é atraído pelo comércio popular do Bom Retiro, do Brás e da Rua 25 de Março, o maior shopping a céu aberto da América Latina.

A cidade pernambucana de Caruaru se tornou conhecida por hospedar a maior feira ao ar livre do mundo. Segundo a prefeitura da cidade, cerca de 100 mil pessoas circulam entre as 11 mil bancas da feira nos dias mais movimentados. Somente em artesanatos regionais são cerca de 300 estandes, que vendem produtos como as tradicionais esculturas de Lampião e Maria Bonita, xilogravuras, rendas e bordados e produtos de barro, palha, madeira e couro.

Já a Zona Franca de Manaus, importante polo comercial da região norte, também atrai turistas de todo o país. São mais de 600 empresas nos segmentos de eletroeletrônico, informática e produção de veículos, que geraram em 2013 cerca de 113 mil empregos diretos e 500 mil indiretos na região. De acordo com a Superintendência da Zona Franca, o Polo Industrial de Manaus gerou receita de R$ 90 bilhões no ano passado.

A rota dos chocolates, em Gramado (RS), seduz adultos e crianças. São mais de 30 fábricas e 60 pontos de venda do produto, que já se tornou marca registrada do município. Além de fazer compras, os turistas podem conhecer o método de produção do doce em algumas fábricas. As malharias de Nova Petrópolis, calçados de Novo Hamburgo, doces de Pelotas e vinhos de Bento Gonçalves também atraem turistas para o Rio Grande do Sul.

MTur
Foto: Divulgação