Começa Festival Folclórico de Parintins

0
73
Festival Folclórico de Parentins - Créditos: MTur / Divulgação

Maior festival folclórico do Amazonas será aberto oficialmente nesta sexta-feira (30) e contará com a presença do ministro do Turismo, Marx Beltrão

Por Geraldo Gurgel

O município de Parintins (AM), distante 369 quilômetros da capital Manaus, é palco de umas das mais importantes celebrações culturais do país, o Festival de Parintins. No Bumbódromo, os bois Garantido e Caprichoso se enfrentam e encantam os presentes no local. E para ver de perto a festa que deve atrair 70 mil turistas, de acordo com a prefeitura, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, participa na noite desta sexta-feira (30) da abertura oficial da 52ª edição do festival.

O festival que termina no domingo, (2) de julho, tem a disputa entre os dois bois como marca registrada. As torcidas se dividem entre o Boi Caprichoso, representado pela cor azul e vencedor de 22 edições, e o Boi Garantido, de cor vermelha que se sagrou campeão em 31 disputas. A rivalidade é tanta que extrapola os limites da arena. Até a decoração das ruas entra na disputa das cores que divide a cidade. Casas, bares, postes, telefones públicos: tudo é vermelho ou azul.

A disputa tem suas raízes no conhecido Auto do Boi, muito popular entre os nordestinos que migraram para a Amazônia durante o ciclo da borracha. No enredo, um peão (escravo) mata um boi querido por um rico fazendeiro para que sua mulher, grávida, possa matar seu desejo de comer a língua. Como o fazendeiro e sua filha, que tinha o boi como favorito, ficam irritados, o peão pede ajuda de um pajé da tribo a fim de ressuscitar o animal.

Em Parintins, a história ganhou novos contornos com personagens do cotidiano ribeirinho e sotaques dos povos da floresta. A tradição se transformou em um grande espetáculo com músicas, danças, luzes, alegorias e cores. A expectativa é de que 17 mil espectadores acompanhem as apresentações por noite. Os turistas invadem a cidade de 112 mil habitantes e chegam pelo porto e aeroporto para os três dias de festival.

Créditos: MTur

Boa parte dos turistas ocupa as embarcações ancoradas nas margens do rio Amazonas. O trajeto mais comum é feito de barco com redários e dura até 24 horas. As lanchas rápidas encurtam a viagem para, no máximo, 10 horas. Há também opções de cruzeiros fluviais para turistas que buscam conforto e comodidade na hospedagem. Já de avião, a partir da capital, a viagem dura em torno de uma hora de voo, dependendo da aeronave. Segundo o prefeito, Bi Garcia, o festival injeta R$ 50 milhões na economia local por ano e gera pelo menos cinco mil empregos diretos e indiretos na cidade.

HISTÓRIA – Inicialmente, o festival contava com apresentações de quadrilhas juninas. Alguns anos depois, o evento cresceu e ganhou fama nacional e internacional. Cada boi reúne, em média, 600 brincantes e seus elementos como rituais, celebração folclórica, figuras típicas, lendas e tribos. As técnicas empregadas nas coreografias e alegorias dos bois e demais personagens durante as apresentações do festival de Parintins influenciaram até os desfiles de carnaval das Escolas de Samba do Rio de Janeiro e São Paulo com a inclusão de movimentos e alegorias articuladas.

Ascom MTur