“Escola do Circo” visita portadores de transtorno mental

0
imagem reprodução, Élcio Paraíso

O Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira vai levar nesta quarta-feira (5), às 14h30, os seus usuários para a “Escola do Circo” do Espaço Cultural. A ação é resultado da parceria da Secretaria de Estado da Saúde (SES) com a Fundação Espaço Cultural (Funesc), e vai permitir a expansão do projeto de humanização Beija-Flor, desenvolvido pela instituição, que oferece diversas atividades aos pacientes no intuito de tirá-los de dentro da estrutura de concreto para conhecer outros meios e auxiliar na recuperação.

“As atividades externas contribuem para a estabilidade emocional e psíquica dos usuários do Juliano e, desta forma, contribuem para a diminuição do tempo de internação”, disse o diretor geral do Complexo, Valter Franco.

Palhaço Dadá recepcionará usuários do complexo Juliano Moreira
Palhaço Dadá recepcionará usuários do complexo Juliano Moreira

Serão 25 usuários que participarão de uma atividade na Escola do Circo Djalma Buranhêm, ao lado do ator, cenógrafo, artista plástico, palhaço e arte-educador Dadá Venceslau. “Eles terão uma tarde completamente diferente, onde aprenderão e, em seguida, apresentarão algumas técnicas circenses, resgatando, assim, a alegria que é despertada em todos nós sempre que vamos ao circo”, disse a chefe do Núcleo de Ações Estratégicas, do Juliano Moreira, Ana Karina Soares.

Ana lembrou que, além da “Escola do Circo”, a parceria permite que os usuários participem de várias atividades desenvolvidas pelo Espaço Cultural, a exemplo do planetário; feiras de produtos artesanais, com exposições e vendas de objetos feitos por eles e até apresentações da Orquestra Sinfônica da Paraíba.

“Percebemos que estes eventos promovem a inclusão no convívio social; a quebra dos estigmas e preconceitos. Percebemos que a sociedade passa a olhar pra eles de forma mais acolhedora e inclusiva”, declarou.

O Projeto Beija-Flor disponibiliza ainda, dentro do Complexo, o Espaço de Convivência Nise da Silveira, que integra a praça “Beija-Flor”, a sala “Espaço Luz”, para produção de artes plásticas e a biblioteca “Arco-Íris”. O objetivo do Centro é colocar o paciente em companhia da natureza e dar a oportunidade de participar de diversas atividades dentro do Juliano.