Rui Alves, da Gapnet, Beto Santos, da Esferatur, Marcelo Sanovicz, da Rextur Advance, Cássio Oliveira, da AirTkt, Elói Oliveira, da Flytour, e Juarez Cintra, da Ancoradouro

 

Os cinco maiores consolidadores de bilhetes aéreos do País – Rextur Advance, Flytour, Esferatur, Gapnet e Ancoradouro – fundaram hoje a Associação Brasileira de Distribuidores de Passagens Aéreas e Serviços de Viagens (AirTkt), que tem Cássio Salles de Oliveira como diretor executivo. Hoje vice-presidente da Rextur Advance, ele inicia a organização da entidade na próxima semana.

O objetivo maior, segundo os fundadores, é preservar a cadeia de distribuição, criando agendas junto ao governo e fornecedores, capacitar os agentes de viagens, criar processos únicos que otimizem o trabalho de todos e valorizar os agentes e os distribuidores em geral.

O que motivou a união desse grupo de grandes empresas (e fortes concorrentes)? Informalmente o mesmo grupo já se reuniu periodicamente alguns anos atrás, mas o acirramento da concorrência acabou desfazendo o chamado G-6. Houve tentativas de junção de alguns dos players, mas isso também não evoluiu.

Com o setor mais amadurecido e profissional, esses empresários, concorrência à parte, já que ela continuará existindo, viram que interesses e necessidades em comum continuaram existindo. Um caso recente que mostrou como essa união pode ser boa para todos e manter a concorrência comercial foi a das fraudes eletrônicas, que atingiram as consolidadoras. Algumas delas se uniram e criaram uma solução tecnológica única, que reduziu o número de ataques não em uma empresa, mas em todo o setor praticamente. A chamada união inteligente.

O modelo será participativo e inclusivo, com um conselho administrativo formado por três dos membros fundadores (a serem definidos) e um diretor executivo, Cássio Oliveira.

“Queremos ajudar os agentes de viagens a continuarem vencendo seus desafios e se desenvolvendo, podendo disputar vendas com players de todos os tamanhos, e também ajudar a indústria a crescer e se organizar. Temos know-how, articulação nacional e bastante profissionalismo”, disse Oliveira ao Portal PANROTAS.

Consolidadores de todo o País que quiserem se associar terão a oportunidade, pois o estatuto define os requisitos para ser um membro.

“Vamos buscar alternativas mercadológicas para nossos clientes, os agentes, ajudando a manter e desenvolver a cadeia produtiva do turismo. Vamos buscar padrões de tecnologia, segurança da informação e dos processos para nossas empresas e nossos parceiros. Capacitar nossos colaboradores e dos nossos clientes também está na lista de prioridades, ainda mais neste momento tão dinâmico de nossa indústria. Vamos trabalhar pelo reconhecimento de nossa atividade e enquadramento tributário adequado”, finaliza Cássio Oliveira, resumindo a missão da nova entidade, que reúne 1,6 mil colaboradores, 65 filiais em todo o País (sem contar home offices) e cerca de 12 mil agências de viagens clientes.

Fonte: PANROTAS
Foto: Divulgação