Dados levantados pelo Hospital de Trauma da capital apontam para uma redução de 22,58% dos acidentes envolvendo ciclistas.

O número de acidentes de trânsito com ciclistas que trafegavam em João Pessoa e Região Metropolitana caiu 22,59% no primeiro trimestre deste ano, comparado aos números do mesmo período de 2013, segundo dados do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na capital. De acordo com a instituição, no ano passado foram 177 casos, enquanto que em 2014 foram 137 ocorrências.

Para entidades que representam os ciclistas, como a ‘Pedal Jampa’, a imprudência dos motoristas é um dos fatores que têm causado acidentes. Somente no mês passado o Hospital de Trauma contabilizou 50 casos. Em fevereiro, uma ciclista foi trancada por um ônibus e teve a bicicleta arrastada, na Avenida Pedro II, na capital. Nesse acidente, a mulher sofreu apenas ferimentos leves. No entanto, segundo o representante da entidade, esta via é uma das mais perigosas para quem trafega de bicicleta.

“Os atropelamentos com ciclistas continuam e são causados principalmente porque os motoristas, a maioria deles dirigindo ônibus, não respeitam os ciclistas. Tem motorista que não respeita a distância lateral mínima de 1,5 metro entre as bicicletas. Outros encostam o para-choque no pneu da bicicleta”, denuncia o representante do ‘Pedal Jampa’, André Nascimento (Pirulito).

Outros dois pontos que oferecem risco para quem pedala, segundo o ciclista, é a Avenida Epitácio Pessoa e principais avenidas do Centro da cidade e no bairro de Mangabeira. De acordo com André Nascimento, os acidentes com ciclistas ocorrem com mais frequência nos horários de pico, quando aumenta o fluxo de veículos nesses trechos.

Na opinião da ciclista e representante do movimento “Massa Crítica Parahyba”, Patrícia Montaño, as motocicletas de menor porte, conhecidas como ‘cinquentinhas’ também são veículos que colocam os ciclistas em risco.

“Geralmente essas motocicletas são pilotadas por adolescentes e pessoas que não conhecem a legislação do trânsito. Eles não sabem que quem anda de bicicleta tem o direito de andar na rua, quando tem ciclovia, por exemplo. As pessoas teêm que entender que a bicicleta também é um meio de transporte”, disse Patrícia Montaño.

Fonte: JP Onilne
Foto: Reprodução