Instituto concentra investimentos em mídias estratégicas da Austrália, Canadá, Estados Unidos e Japão

A 50 dias da Olimpíada Rio 2016, campanha promocional da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) com o slogan Brazil is open for you! incentiva a vinda de australianos, canadenses, norte-americanos e japoneses. A iniciativa, que estima impactar mais de 70 milhões de pessoas, explora a isenção de visto a esses países durante os Jogos como fator impulsionador para a tomada de decisão de viagem do público. A Times Square, ponto turístico mais visitado do mundo, localizado em Nova Iorque, estampará a Marca Brasil em vídeos do País que irão circular por um mês.

“Apostamos na atual valorização do dólar e no maior poder de compra do estrangeiro no Brasil para atrair esse público e elevar a rentabilidade do setor do turismo no período da Olimpíada e Paralimpíada”, informa José Antônio Parente, presidente substituto da Embratur. Nesta reta final, Parente reforça que o convite é para que turistas dos quatros países acompanhem, de perto, os Jogos no Rio de Janeiro e aproveitem a oportunidade para conhecer outras cidades brasileiras.

As peças possuem caráter informativo, com linguagem direta e mostram destinos brasileiros. A campanha foi segmentada para atingir o público em momentos e ambientes relevantes. Na internet, o grande peso é nas redes sociais e nos mecanismos de busca. Os principais veículos são as redes sociais (Facebook e Twitter), onde a Embratur possui forte presença, além de ação de content video. A previsão é alcançar 30 milhões de usuários das redes, fora o potencial de compartilhamento orgânico.

Aeroportos dos Estados Unidos com maior fluxo de potenciais turistas foram escolhidos para a ação: Nova Iorque, Los Angeles, Atlanta e Chicago. No Canadá, são veiculados painéis nos aeroportos internacionais de Vancouver e Toronto. Na Austrália, estão no aeroporto internacional de Sydney, e no Japão, no aeroporto de Tóquio. No total, o potencial estimado de impactos nesses lugares é de 40 milhões de pessoas.

As revistas de bordo das principais companhias aéreas desses países também foram contempladas, visando alcançar sete milhões de passageiros. São elas: Estados Unidos – Delta Airlines (Sky Magazine) e American Airlines (American Way Magazine); Canadá – Air Canada (En Route Magazine) e Austrália – Qantas (Qantas Magazine). Há inserção de mídia também na Latam Airlines (Revista Vamos Latam), que abrange essas três nações.


Medida deve injetar US$ 80 milhões na economia brasileira

Com a campanha da Embratur e demais ações realizadas em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, a isenção aos mercados com forte tradição olímpica (Japão, Estados Unidos, Canadá e Austrália) pode gerar um aumento de até 20% no fluxo entre os destinos. Isto representa um acréscimo de 75 mil turistas internacionais, que devem injetar US$ 80 milhões na economia brasileira. No total de turistas internacionais esperados para os Jogos (entre 300 mil e 500 mil pessoas), a projeção é de US$ 1,7 bilhão na economia do Brasil, de acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT).

“Concentramos investimentos nesta campanha para trazer resultados concretos à dispensa do visto e para ampliar a imagem do Brasil como destino turístico diversificado e preparado para receber estrangeiros antes, durante e após a Rio 2016”, completa Sérgio Flores, diretor de Marketing da Embratur. Segundo ele, estima-se que a campanha promocional atingirá, no total, mais de 77 milhões de pessoas.

Dispensa de visto

Austrália, Canadá, Estados Unidos e Japão foram contemplados com a Portaria Conjunta nº 216 por serem importantes emissores de turistas, demonstrarem interesse em visitar o Brasil e terem forte tradição olímpica. A dispensa garante, até 18 de setembro, estadia limitada a 90 dias a contar da data de primeira entrada em território nacional para cidadãos dos quatro países.

A isenção é direcionada a estrangeiros que venham ao Brasil exclusivamente para fins de turismo. O visitante não precisará comprovar que possui ingressos para assistir a qualquer evento das modalidades desportivas dos Jogos Olímpicos ou Paralímpicos. A medida do governo brasileiro deve acrescentar até US$ 1,7 bilhão na economia brasileira, de acordo com estimativa do Ministério do Turismo.

Imagem divulgação