Moçambique quer compartilhar a experiência brasileira em promoção internacional para incrementar o turismo no país. Para iniciar uma parceria entre o governo moçambicano e o brasileiro, o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto, recebeu nesta terça-feira o conselheiro econômico para assuntos de turismo e cultura da embaixada moçambicana, Romualdo Lodino do Carmo Johnam. A chefe de gabinete da Embratur, Kátia Bitencourt, também participou da audiência.

O país africano tem algumas semelhanças com o Brasil: praias belíssimas de água cristalina e areia branca, parques e reservas florestais, ideais para atrair turistas do mundo todo. “Queremos a experiência da Embratur  para nos ajudar a  desenvolver o turismo em Moçambique. A Embratur pode também nos aproximar de entidades e grupos dispostos a investir no turismo moçambicano”, declarou Romualdo Lodino.

O presidente da Embratur reforçou o interesse do Governo Federal em aproximar-se cada vez mais do continente africano. “Ampliamos nossa política externa voltando os olhos para a África e a América Latina. Vamos cooperar com o governo moçambicano com toda a experiência adquirida ao longo dos anos”, garantiu Vicente Neto.

Técnicos da Embratur farão uma palestra para os funcionários da Embaixada para explicar como o Brasil promove e divulga os produtos e destinos turísticos nos mercados internacionais. Vicente Neto também sugeriu uma aproximação com o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), criado pelo Governo Federal em 2011. “O Pronatec é um excelente programa de qualificação profissional que atende milhares de pessoas em todo o Brasil, capacitando os jovens para diversas áreas do mercado de trabalho, inclusive no setor de turismo. Conhecer de perto o programa pode auxiliar o governo moçambicano na formação dos trabalhadores moçambicanos”,  concluiu.

ASCOM/Embratur