O Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica) entrou no clima da Copa do Mundo e preparou uma decoração especial para este mês de junho. Com temática em verde e amarelo, o espaço foi preparado para recepcionar os visitantes, que ainda terão a oportunidade de ver uma exposição sobre o tatu-bola, mascote do mundial, e os animais representam as seleções que jogarão com o Brasil. Nos dias dos jogos do Brasil, a Bica vai funcionar em horário especial, das 8h às 13h, sendo a entrada até 12h.

Segundo o educador ambiental, Diego Nóbrega, a proposta de decorar o Parque em períodos como Natal, férias, e agora com o projeto “Copa do Mundo”, é uma forma de atrair os visitantes, e com um público maior, trabalhar mais a questão ambiental. A ornamentação, com foco na Copa do Mundo, feita com as cores do Brasil, tem um mini campo, molduras temáticas para fotos e, o espaço Jequitibá (antigo restaurante do Parque) onde acontecerá uma exposição, também foi decorado com bolas e bandeirinhas.

“Nós realizamos as atividades de educação ambiental diariamente com as escolas, que já é um público garantido, que vem durante todo o ano, mas agora oferecemos para o público visitante, que vem só olhar os animais, um atrativo a mais”, comentou Diego Nóbrega.

Sobre a exposição, o educador ambiental César Costa, informou que o foco são os animais símbolos dos países, mesmo aqueles que não estão presentes no Parque, que é o caso do tatu-bola, mascote do Brasil – ameaçado de extinção, quanto nos animais representantes dos adversários do país, na primeira fase da Copa, são eles: o marta (mamífero), símbolo da Croácia, a águia real, do México; e o leão, do Camarões.

bica

A exposição mostra as características dos animais, tanto com relação a alimentação, reprodução e questão de situação, se estão em perigo de extinção ou não. “O objetivo desta exposição não é apenas falar sobre a Copa, mas promover a educação ambiental. Aproveitamos esse momento não só para ornamentar o Parque, mas para atrair as pessoas para que elas possam estar interessadas na educação ambiental”, informou César Costa.