São João em Campina Grande. Crédito: Prefeitura Municipal

Além da forte tradição cultural, os festejos movimentam a economia dos destinos. Somente Caruaru (PE), Campina Grande (PB) e Mossoró (RN) devem movimentar, juntas, R$ 515 milhões

Por Pedro Fideles

Trazidas ao Brasil pelos europeus no período colonial, as festas em homenagem aos santos Antônio, Pedro e João, realizadas no mês de junho, tornaram-se ícones da cultura nordestina, integrando a produção de comidas típicas, tradições religiosas e as danças embaladas pelo ritmo do forró. A riqueza cultural do evento é um dos fatores que levam os turistas a se renderem à festa que impulsionam a economia da região.

Em Campina Grande (PB), os festejos terão início nesta sexta-feira (03) e devem estender-se até o dia 3 de julho. As danças de quadrilha e as apresentações de forró serão realizadas no Parque do Povo, que abrigará três palcos. A prefeitura do município paraibano estima que dois milhões de pessoas participem do evento, e a prevê a movimentação financeira de R$ 200 milhões na economia da região.

Entre os dias 4 e 26 de junho, será a vez de Mossoró (RN) realizar sua grande festa de São João com forte influência nas tradições religiosas e que contará com apresentações culturais de artistas reconhecidos nacionalmente, como a dupla sertanejas César Menotti e Fabiano e a banda Aviões do Forró. A festa também será marcada pela celebração da passagem da tocha olímpica na cidade, com show de Dorgival Dantas. De acordo com a prefeitura do município, os festejos deverão reunir 1,5 milhão de pessoas e movimentar R$ 15 milhões na economia local.

Festa em Caruaru. Crédito: Rafael Lima
Festa em Caruaru. Crédito: Rafael Lima

No município pernambucano de Caruaru, as Festas de São João serão realizadas entre os dias 4 e 29 de junho, e sua programação inclui danças de quadrilha, exposição de obras de arte e apresentações musicais de artistas como Elba ramalho. Com o público previsto de dois milhões de pessoas, o evento deve movimentar R$ 300 milhões na economia local, de acordo com a prefeitura da cidade.

“A ideia do ministério em trabalhar o São João vem do fato de ser um produto diferenciado, que pode ser ofertado para os mercados nacional e internacional, e que é capaz de ampliar o fluxo de turistas para uma região, movimentando assim sua economia”, comentou Cristiano Borges, Coordenador-Geral de Produtos Turísticos do Ministério do Turismo.

CURIOSIDADE – A dança de quadrilha teve origem na França e foi trazida ao Brasil pelos europeus no início do século XIX. Seu nome refere-se aos quatro casais que participavam da dança, originalmente realizada nos bailes da nobreza europeia. Com a popularização da dança no Brasil, esta manifestação cultural agregou aspectos da cultura local, que resultaram na adaptação das palavras de comando da dança do idioma francês à língua portuguesa, na criação de novos passos, e no aumento do número de participantes, que hoje dançam no ritmo do forró.

Ascom MTur

Fotos: Divulgação