Depois de conquistar a cidade de João Pessoa, Flaviano André, vocalista e líder da banda Star 61, não se intimidou nem um pouco com a grande concorrência no cenário musical paulista, e se jogou para a cidade da garoa, levando o Rock’n’ Roll made in Paraíba, cheio de influências e personalidade.

A banda Star 61 junta o glamour de artistas como David Bowie, Marc Bolan, The Smiths, composições à la jovem guarda e performances estilo Secos e Molhados ,Mutantes e Iggy Pop. Tudo isso numa só banda. Difícil? Não! A proposta da Star 61 é exatamente reviver esse brilho e criatividade de décadas passada.

1959914_10203593331056555_917070968_n

Formada em 2013, a banda carrega um currículo invejável.  Com apenas um ano de formação, foi a banda revelação no Festival MADA de 2004, realizado em Natal- RN. Ganhou a etapa Nordeste. do Festival Claro Que É Rock 2005, participou de festivais, como: Festival Laboratório Pop 2006, no Rio de Janeiro/RJ; Festival Do Sol 2008, em Natal/RN; Festival Mix 2011 no CCSP, São Paulo/SP, Virada Cultural 2012, em São Paulo/SP, no Palco Baratos Afins; teve participação no ShowLivreDay, em 2012.

 Uma das grandes características da banda é a performance eletrizante no palco. O que é estar no palco para vocês?

O palco é sagrado pra nós, nele nos sentimos mais vivos e, naturalmente, transcendemos entre melodias e energia do público.

1527080_10203093385318224_1541619984_n

Como vocês definem o trabalho da banda?

Independente de visual, letras com temas mais ousados, fazemos arte e arte não tem sexo… Somos uma banda de Rock & Roll, dando  nosso recado, e nos orgulhamos disso.

10388138_10204068139886479_3696012049054607737_n

Houve uma necessidade de mudar de estado para ganhar mais público e visibilidade?  Como foi a recepção do público paulista?

Sim, depois de um bom tempo tocando pelo nosso querido nordeste, percebi que era necessário alçar novos  voos com a Star 61. Desde minha primeira vinda a São Paulo, em 2005, percebi que não duraria muito para me mudar pra cá. Tinha me apaixonado pela cidade. Independente de onde se esteja, quando se cria uma linguagem musical acessível e verdadeira, ela sempre será sempre bem recebida e respeitada em qualquer lugar do mundo. Não é diferente aqui em Sampa; temos amigos e fãs que compartilhamos nossas emoções.

Flaviano, você é o único paraibano na Star 61. Como é o entrosamento entre os integrantes atuais?  Houve dificuldade em achar músicos que se encaixassem no perfil da banda?

Há muita química entre nós! Sabemos muito bem o que fazer no palco e nos momentos de criação. Sentimo-nos como irmãos que compartilham um mesmo sonho. Eu sou bem criterioso quando o assunto é encontrar parceiros musicais, mas hoje em dia não é tão difícil assim.  Sempre rola um bom papo antes do primeiro ensaio, pra esclarecer a proposta da banda… Infelizmente nem todos são aprovados!

10464285_10204564636098574_2406890138273628048_n

 Conte um caso curioso ou engraçado que tenha acontecido com a banda?

Lembro-me muito bem de uma situação pela qual passamos depois de um show que fizemos na cidade do interior da Paraíba, Patos, no Festival Balaio Pop, em 2006. Pegamos uma van pra voltar pra casa ainda pela manhã, isso depois de termos quase amanhecido o dia andando pelos arredores da cidade comemorando com uma turma que havia curtido nosso show. Dormimos algumas horas antes de sair às pressas, sem tomar café e direto para o carro, com mais alguns amigos. A viagem duraria aproximadamente 6 horas (se nada tivesse dado errado),mas quando estávamos próximos a Campina Grande, no meio do nada,  numa BR, a van quebrou. Ficamos rindo pra não chorar, pois não tínhamos mais água e nem comida; e horas depois foi que chegou o carro substituto pra nos salvar …Mas ainda tinha um outro detalhe: a filha do motorista  havia pego carona conosco até Campina Grande, pra ficar em um lugar que nem ela sabia onde era. Mais 20 minutos rodando com a “criancinha” pela cidade, enquanto reclamávamos, pedindo pra ele parar num lugar pra comermos qualquer coisa, mas ele não nos dava atenção. Pode? Quando o carro parou, parecíamos um bando de loucos correndo pra todos os lados pra comprar comida, e o povo local meio assustado sem entender nada. No fim das contas, jurávamos que chegaríamos a João Pessoa por volta das 16h daquele dia, mas quando chegamos já era noite e o nosso batera que estava atrasado pra uma passagem de som com outra banda,  saindo do carro ainda leva um tombo… VIVA O ROCK & ROLL ! Uhuuu!

O que a banda curte atualmente (falo de artistas que estão no cenário musical recentemente) Qual a opinião de vocês sobre o rock brasileiro?

De modo geral, ouvimos Interpol, Queens of Stone Age, Jack White, Karina Buhr, Tulipa Ruiz, Marcelo Jeneci, Artic Monkeys, Arcade Fire, entre outros. Cada integrante apresenta uma vertente interessante de estilo musical, formando aquela  geleia geral brasileira. Uns pendendo mais pra psicodelia, de Tame Impala e dos já consagrados Mutantes e outros para o rock inglês, como Muse além das bandas citadas acima. Isso é bem interessante e acaba dando uma nova cara ao som da Star 61.

1385638_10202354886616218_1194969449_n

Qual a relação da banda com a Internet?

A internet é um espaço importante para a Star 61. Boa parte das pessoas hoje tem acesso a essa ferramenta. Muitos convites para shows e até mesmo entrevistas chegam até nós pelo facebook, além de ser uma ótima forma de marketing. Mas o que acho mais interessante em poder estar no facebook, é mostrar o nosso rosto, como somos no palco e poder rever alguns de nossos shows pelo youtube. Esse é um luxo que, se pararmos para pensar, não existia há pouco mais de 10 anos ou menos. Pode-se dizer que a internet é uma extensão do que fazemos no palco e nos ensaios, e que só soma para a Star 61.

Em que momento bate saudades da Paraíba?

Quando penso na minha família, nos amigos queridos, nas praias, no fim de tarde passeando no centro histórico, e na energia do nosso lindo público nos shows da Star 61.

 Existe algum lugar ou festival em que vocês gostariam de tocar?

Recentemente tocamos no Cineport em João Pessoa e foi maravilhoso! Seria muito interessante se pudéssemos voltar ao Nordeste e visitar outras cidades dessa parte do país. Fomos muito bem recebidos por lá e o show foi simplesmente incrível, com a galera cantando algumas de nossas músicas em coro. Existem vários outros festivais que queremos ainda  participar pelo Brasil afora,  em especial, o BANANADA, em Goiânia.

Qual a opinião de vocês sobre realities shows musicais? A banda pretende participar deles?

Não temos acompanhado nenhum programa desse tipo, no momento. Mas acredito que toda experiência pode ser válida, desde que envolva música e pessoas com vontade de explorar outros estilos e agregarem para si essas experiências.

Quais são os próximos passos da banda?

A Star 61 nasceu de novo em 2014, com Eder Munhoz assumindo o contrabaixo e Gustavo Mendes a bateria. A partir daí,  a banda ganhou uma nova cara. Isso não significa que toda a história da banda foi deixada de lado, mas agregou-se uma nova pegada mais pesada às apresentações,  em relação à formação da banda no ano passado. Estamos em parceria com uma produtora maravilhosa a “RECHEIO DIGITAL”,  daqui de São Paulo, produzindo um videoclipe para a música “Dor, amor!”. Além disso, temos  trabalhado em novas músicas e esperamos lançar ao menos um single até o fim do ano e,  quem sabe, um novo formato de show para os nossos fãs. Porém,  isso, por enquanto fica só no plano subjetivo. Hoje a banda conta com Flaviano André, nos vocais e guitarra-base; João Sabino, na guitarra solo; Eder Munhoz, no Baixo e Gustavo Mendes, na bateria.

1978608_802552419757523_252029148_n

A Banda é formada por

Flaviano André – Voz, guitarra

João Sabino- Guitarra

Eder Munhoz– Baixo

Gustavo Mendes- Bateria

https://soundcloud.com/bandastar61

http://palcomp3.com/star61/

http://www.youtube.com/channel/UCnhC8p7UHIEkMmmRTsQGJYw

https://www.facebook.com/pages/Star-61/213469451999159