O site “Guia Turismo Acessível”, do Ministério do Turismo, obteve mais de 228 mil acessos em menos de um mês, o que representa cerca de 10 mil visitas ao dia, entre os dias 3 até 24 de junho. A ferramenta colaborativa permite ao turista, com deficiência ou não, avaliar estabelecimentos de acordo com o seu nível de acessibilidade. O objetivo é reunir na internet informações relevantes sobre as atrações turísticas, baseadas na vivência dos usuários.
Até o momento, 734 usuários realizaram registro no site, dos quais 32% selecionaram algum tipo de deficiência. Entre as avaliações já realizadas, 57% foram feitas sob a perspectiva física ou motora, 23% auditiva e 20% mobilidade reduzida.  Novos cadastros de estabelecimentos também foram realizados, sendo 35% na categoria “Museus e Atrativos Históricos”. No lançamento do site, no início do mês de junho, mais de 530 mil estabelecimentos já estavam cadastrados.
Conforme um relatório das três primeiras semanas do Guia Turismo Acessível, 60% dos usuários acessaram o site diretamente, sem site intermediário, e o maior acesso foi pela região Sudeste, o equivalente a 23%. Merece destaque a página com informações sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, sendo a maior visualização após a página inicial (Home) e o maior tempo de permanência.
O site é uma parceria do Ministério do Turismo com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade) e da Embratur. O guia traz, ainda, legislações, normas e cartilhas com dicas de como se adaptar e bem receber a pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.
De acordo com o ministro do Turismo, Vinicius Lages, a plataforma deve se tornar um guia de referência para o usuário e prestadores de serviço turístico, como hotéis e restaurantes que investem em ações de inclusão social. O Brasil possui cerca de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, o que representa cerca de 23% da população brasileira, segundo o IBGE.
Na quarta-feira, dia 25 de junho, o diretor substituto do departamento de produtos e destinos do Ministério do Turismo, Wilken Souto, fez palestra sobre turismo acessível na 13ª edição do Salão São Paulo de Turismo. Wilken falou sobre Turismo Acessível como oportunidade de negócios. “É importante pensar que as pessoas com deficiência são consumidores como qualquer um e as iniciativas de acessibilidade beneficiam também outros públicos como pessoas obesas, crianças, idosos, gestantes”, avalia.
Para o diretor do MTur existem boas oportunidade de negócios, tendo em vista o fato de que o país será sede dos Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. E pelo fato de que o turista com deficiência geralmente viaja acompanhado por familiares ou amigos, segundo dados do Estudo do Perfil do Turista – Pessoas com Deficiência.

Fonte: BRASTURIS
Imagem: Divulgação